Opinião

A propósito de decisões absurdas e do momento que vivemos

O caso dos incêndios florestais é um exemplo que ilustra à sociedade aonde nos conduziu a absurda decisão de considerar a componente de meios aéreos de combate como algo que anualmente deveria ser objeto de contratação privada face à ínfima participação de meios detidos pelo Estado.

Por

Predadores

Talvez a manifesta insensibilidade e a grosseira tentativa de Passos Coelho de manipular as emoções do público, usando a tragédia do incêndio de Pedrógão Grande, pudesse ter sido contida se a comunicação política não dependesse tanto do circo mediático e se o líder do PSD e outras figuras fossem capazes de reprimir a pulsão do soundbite.

Por Alfredo Maia
Alfredo Maia

Tragédias e manobras com Incêndios Florestais

Incêndios Florestais destes «só» acontecem no âmbito da ruína da agricultura familiar em consequência da aplicação, desastrosa, da Política Agrícola Comum e das políticas agro-florestais, definidas e aplicadas por sucessivos governos nacionais, ao longo de mais de 30 anos seguidos

Por João Dinis
João Dinis

Pós-laboral #11

Um concerto com um álbum «Prà bicharada» e a bicharada que quer começar a ser bailarina em Viseu.

Por André Albuquerque
André Albuquerque

Uma morte é sempre uma tragédia

Pior do que enviar cidadãos para as matanças «nas nossas colónias» é mandá-los perder a vida para defender as colónias dos outros, sejam quais forem os argumentos que se invoquem.

Por José Goulão
José Goulão

A comunidade cigana – mitos e realidades

O primeiro estudo sobre as comunidades ciganas em Portugal aponta para a existência de 37 mil pessoas, sendo que 91,3% não tem o 3.º ciclo do Ensino Básico. Todavia, sendo este o primeiro estudo com uma natureza mais formal é de admitir que possam existir mais alguns milhares.

Por

Dolorosa razão

No passado sábado, ao coligir as informações que me chegavam da catástrofe de Pedrógão Grande, senti-me angustiado por ter prognosticado uma catástrofe anunciada.

Por Duarte Caldeira
Duarte Caldeira

A quadratura do círculo

Com a recuperação de rendimentos, contrariando embora limitadamente a política de concentração de riqueza designada por política de austeridade, conseguiu alargar-se o mercado interno, trazendo oxigénio a milhares de empresas o que, sem descurar o mercado externo, criou uma dinâmica de crescimento.

Por Carlos Carvalhas
Carlos Carvalhas

Pedrógão, uma raiva sem fim...

Quem destruiu o aparelho do Estado para as Florestas portuguesas? E em nome de quê? E por ordem de quem? Estando tudo ou quase tudo cadastrado neste país, os homens, as casas, os carros, os contribuintes, porque nunca avançou o cadastro florestal? Quem fez avançar a ideia de que o problema dos incêndios florestais é da floresta abandonada? De terra sem dono? Dos pequenos proprietários que não cuidam das suas terras?

Por Agostinho Lopes
Agostinho Lopes