|SNS

Câmara de Loures aprova pedido de reunião urgente com ministra da Saúde

A Câmara Municipal de Loures aprovou uma moção da CDU a exigir reunião urgente com Ana Paula Martins, a fim de reclamar soluções para os serviços de saúde do concelho, que há anos se vêm degradando. 

A falta de médicos de família e de consultas de recurso faz aumentar a procura pelas urgências hospitalares Créditos / SIM

O Governo mudou, os problemas no acesso à saúde no concelho de Loures, há muito diagnosticados, persistem, graças à ausência de medidas por parte dos sucessivos executivos. Preocupações com a degradação dos serviços e com a falta de pessoal, nomeadamente médicos de família, motivaram a moção aprovada esta quarta-feira pela Câmara Municipal de Loures. 

O documento levado a votação pelos eleitos da CDU, a que o AbrilAbril teve acesso, refere que, «se por um lado se assiste a uma melhoria das instalações por acção do Município, que desde a cedência de terrenos até ao assumir da construção dos edifícios por inépcia do Ministério da Saúde vai assumindo competências deste», por outro, a falta de profissionais é «gritante e sempre em crescendo». E é graças à carência de médicos, enfermeiros, auxiliares, administrativos e operacionais, que, lê-se na moção, acontece o «rotineiro» encerramento dos cuidados de saúde primários e hospitalares. 

«Continuamos assim a assistir ao crescente número de pessoas sem médico de família e que passam a noite à porta dos centros de saúde para obterem uma consulta, sem que isso seja garantia que a consigam, e tendo muitas vezes de repetir essa vigília até a conseguirem», denuncia o texto.

A falta de médicos de família no concelho leva ainda, observam os eleitos da CDU, à crescente procura de resposta nas urgências hospitalares, «podendo representar até perto de metade dos [utentes] que aí se deslocam com situações menos urgentes de saúde». «Se a esta procura excessiva se juntar a falta de profissionais de saúde, temos um claro quadro de uma situação que carece de resolução urgente e imediata», acrescentam.

A espera de meses, «e por vezes anos», para uma consulta de especialidade ou cirurgia, devido à falta de profissionais, que fogem do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para o sector privado por falta de condições de trabalho e salários condignos e atractivos, são outros dos aspectos apontados na moção, que critica as «pseudo soluções» apresentadas por sucessivos governos e uma «falta de vontade efectiva» para resolver os problemas do SNS. 

Encontrar respostas urgentes para os problemas elencados é o propósito do pedido de reunião à tutela, onde deverão participar todos os partidos políticos com assento no executivo da Câmara Municipal de Loures. 

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui