|Orçamento do Estado

Orçamento aprovado, apesar das insuficiências

Com o voto favorável do PS, os votos contra da direita e do BE, a abstenção de PCP, PAN e PEV, o Orçamento do Estado (OE) foi aprovado, apesar das insuficiências que resultam das opções do Governo.

CréditosJOSÉ SENA GOULÃO / Agência LUSA

No encerramento da discussão sobre o OE para 2021, a direita, do PSD ao Chega, mostrou o seu ressabiamento com a aprovação do Orçamento. Um resultado que lhe terá frustrado os planos ao não abrir caminho ao desenvolvimento da sua acção, com velhos ou novos protagonistas, no sentido da degradação da situação e do retomar dos projectos de agravamento da exploração e do empobrecimento dos trabalhadores e das populações.

Por seu lado, o PCP interveio no debate deste Orçamento denunciando as profundas insuficiências e limitações da proposta que o Governo apresentou, não deixando de travar a batalha até ao fim ao apresentar centenas de propostas, cuja aprovação integral permitiria uma ampla resposta ao agravamento da situação nacional, conforme afirmou Jerónimo de Sousa.

O líder comunista sublinhou ainda que o PCP transformou em proposta as justas aspirações e lutas dos trabalhadores e do povo português, do combate à epidemia aos direitos dos trabalhadores, do reforço do Serviço Nacional de Saúde ao robustecimento dos serviços públicos, da defesa das micro, pequenas e médias empresas aos apoios aos artistas e agentes da cultura, do investimento público à defesa da produção nacional.

Tópico