|iémen

Trégua por mais dois meses no Iémen

A trégua, que entrou em vigor a 2 de Abril e foi renovada a 2 de Junho, voltou a ser prolongada um período de mais de dois meses, anunciou o enviado da ONU para o Iémen, Hans Grundberg.

Uma criança caminha no meio de edifícios destruídos pela aviação saudita, no Iémen (imagem de arquivo)
Uma criança caminha no meio de edifícios destruídos pela aviação saudita, no Iémen (imagem de arquivo)Créditos / RT

O prolongamento do período de cessar-fogo, entre 2 de Agosto e 2 de Outubro, «inclui o compromisso das partes de intensificarem as negociações com vista a alcançarem um acordo de trégua abrangente o mais rapidamente possível», disse Grundberg esta terça-feira.

«O principal objectivo da actual trégua continua a ser o de proporcionar um alívio concreto aos civis e o de criar um ambiente propício para se chegar a um acordo de paz para o conflito, por via de um processo político integral», acrescentou, citado pela PressTV.

Em Março de 2015, teve início a guerra de agressão contra o Iémen. A Arábia Saudita, com o apoio dos EUA, do Reino Unido e de outras potências ocidentais e regionais, lançou uma campanha militar contra o vizinho do sul, tendo como objectivo declarado suprimir a resistência do movimento Huti Ansarullah e recolocar no poder o antigo presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi, aliado de Riade, sem sucesso.

A agressão militar e o bloqueio imposto ao mais pobre dos países árabes destruíram as suas infra-estruturas, provocaram milhares de mortos, feridos e deslocados, e estiveram na origem daquilo que as Nações Unidas classificaram como a mais grave crise humanitária dos tempos modernos.

O acordo inicial de cessar-fogo entrou em vigor a 2 de Abril deste ano, na sequência das negociações mediadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) entre a coligação liderada pelos sauditas e o movimento de resistência Huti Ansarullah.

No contexto da trégua, foram retomados os voos a partir da capital iemenita, Saná, para a Jordânia e o Egipto, e os petroleiros começaram a chegar ao porto da cidade de Hudaydah – mesmo havendo múltiplas denúncias de que os sauditas continuaram a apreender petróleo e navios.

«Nas próximas semanas, vou intensificar os meus compromissos… para garantir a plena implementação dos termos da trégua pelas partes», disse ainda Grundberg, frisando que quer «colocar o Iémen no caminho para uma paz sustentável».

 De acordo com uma nota emitida pelas Nações Unidas em Junho, mais de 19 milhões de iemenitas passam fome. A trégua é fundamental; o reforço dos financiamento humanitário também.

Tópico