|Colômbia

Pacto Histórico inscreveu candidatura, entre insultos e ameaças

A dois meses das eleições e num contexto hostil, a coligação liderada por Gustavo Petro oficializou a candidatura à presidência e apresentou o programa com que pretende mudar o país sul-americano.

Francia Márquez e Gustavo Petro 
Francia Márquez e Gustavo Petro Créditos / @FranciaMarquezM

Gustavo Petro foi apresentado como candidato presidencial e Francia Márquez como candidata à vice-presidência da Colômbia pela coligação progressista Pacto Histórico.

O programa de mudança que pretendem implementar, divulgado em várias plataformas, visa conduzir o país a «uma era de paz».

A ideia é promover uma «transição» que torne possível uma vida digna e a justiça social, bem como criar condições para ultrapassar a violência sistemática e consolidar a paz.

O programa dá destaque, entre os outros aspectos, a questões como a democratização do Estado, ao acesso à saúde, educação e cultura, ao reconhecimento dos direitos da mulher e à promoção da igualdade.

De acordo com a imprensa, quase todas as sondagens apontam Gustavo Petro como favorito na contenda eleitoral de 29 de Maio e, nesse sentido, os candidatos de outras coligações têm-se empenhado em desacreditá-lo.

Mais recentemente, Francia Márquez, candidata pela coligação progressista à vice-presidência, foi alvo de insultos racistas e machistas nas redes socias. Também a ameaçaram de morte, segundo denunciou este domingo.

«Não bastam as calúnias, as expressões racistas, mas em menos de um mês fui ameaçada de morte duas vezes, juntamente com outros dirigentes sociais», disse Márquez, que instou o actual presidente do país, Iván Duque, a garantir a sua integridade física, a da sua família e a dos dirigentes sociais visados.

No Twitter, Márquez publicou fotografias de panfletos da organização paramilitar autodenominada Águilas Negras, nos quais as ameaças são proferidas.

Neste contexto, várias figuras vieram a público condenar as ameaças e defender a candidata afrocolombiana, com origens humildes e com trajecto de lutadora social.

Francia Márquez disse que, se vencer as eleições em Maio, com Gustavo Petro, vai trabalhar a favor das mulheres, das comunidades indígenas, dos jovens e dos mais pobres.

«Estamos a escrever uma nova história para a Colômbia. A partir da vice-presidência, vamos acompanhar o nosso Presidente Gustavo Petro na tarefa de alcançar um governo para a vida, a paz, a justiça e a igualdade social», frisou, citada pela Prensa Latina.

Tópico