|Colômbia

Cinco dirigentes sociais assassinados num só dia na Colômbia

Quatro representantes indígenas e uma sindicalista foram mortos esta segunda-feira no país sul-americano, elevando para 124 os dirigentes sociais e defensores dos direitos humanos assassinados este ano.

Protesto na Colômbia contra o assassinato de dirigentes sociais (imagem de arquivo)
Protesto na Colômbia contra o assassinato de dirigentes sociais (imagem de arquivo) Créditos / fayerwayer.com

O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz) informou que homens armados mataram a tiro a professora e sindicalista María Nancy Ramírez, em Santa Rosa de Osos, no departamento de Antioquia.

Por seu lado, Jose Luis Pai e Jovanny Javier García eram indígenas do povo Awá e desempenhavam funções nas reservas Awá Quejuambi Feliciana e Hojal la Turbia, respectivamente (em Tumaco, no departamento de Nariño). Desapareceram ambos no domingo e, no dia seguinte, os seus corpos sem vida foram encontrados com sinais evidentes de violência.

Dilio Bailarín era membro da reserva indígena Alto Guayabalito, do povo Embera Eyábida, localizada no município de Carmen del Darién (departamento de Chocó), onde foi morto na segunda-feira à tarde.

O Indepaz informou ainda que David Aricapa Viscue, membro da reserva de López Adentro, pertencente ao povo Nasa e localizada entre os municípios de Caloto e Corinto (departamento do Cauca), foi morto a tiro por um grupo de homens no município de Caloto.

«A realidade de que Duque não fala nas suas viagens»

Com os cinco assassinatos documentados esta segunda-feira, o organismo contabiliza 124 dirigentes sociais e defensores dos direitos humanos mortos no país andino-amazónico em 2021 e 1239 desde a assinatura do acordo de paz entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo (FARC-EP) e o governo colombiano, em Novembro de 2016.

«Estes cinco assasinatos num só dia mostram que a violência contra quem defende o território, as liberdades e um país melhor para todos continuam a aumentar, perante a atitude imóvel do governo nacional», denuncia o portal agenciademedioshoynoticias.com, acrescentando que «esta é a realidade de Duque não fala nas suas viagens».

Na véspera, dia 19, foi assassinado Manuel Mena Viveros, ex-guerilheiro que estava em fase de reintegração. A ocorrência teve lugar no Bairro El Futuro, em Quibdó, capital do departamento de Chocó.

O Indepaz precisou que, com este assassinato, sobe para 37 o número de ex-guerrilheiros signatários do acordo de paz mortos em 2021 e 286 desde a assinatura desse acordo.

No que respeita à violência na Colômbia, o organismo registou ainda 71 massacres perpetrados este ano, com um saldo de 255 vítimas mortais. A grande maioria dos casos teve lugar nos departamentos do Cauca (13 massacres e 43 vítimas), Antioquia (10/36), Valle del Cauca (9/38), Nariño (6/24) e Caquetá (6/20).

O Indepaz utiliza o termo na acepção estabelecida pelas Nações Unidas: existe um massacre «quando três ou mais pessoas são assassinadas no mesmo local e momento e pelo mesmo presumível perpetrador».

Tópico