|Ecalma

Salários pagos na Ecalma após protestos

Apesar de ainda não ter havido uma explicação formal sobre a razão dos atrasos, as denúncias dos trabalhadores e do STAL resultaram no pagamento do salário de Maio e dos subsídios em falta.

Para o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL/CGTP-IN) é uma «pequena grande vitória». «Recebemos o que é nosso por direito, o retorno do nosso trabalho», afirma em nota enviada à imprensa. 

Esta segunda-feira, os trabalhadores tinham decidido «não baixar os braços» enquanto não fossem pagos os salários relativos ao mês de Maio e os subsídios de férias de 2019, e realizaram várias acções de denúncia.

Porém, a explicação formal sobre esta irregularidade não aconteceu. Reunidos em plenário esta quinta-feira, os trabalhadores decidiram dirigir-se, dia 6 de Julho, à sessão da Câmara Municipal de Almada para exigir explicações e garantias em relação ao futuro.

Recorde-se que a Ecalma/Wemob é uma empresa municipal que tem como único accionista o município, não sendo uma entidade externa ou independente da Câmara Municipal de Almada, pelo que esta assume responsabilidades no financiamento e na gestão.

Para exigir a solidez da empresa, a prestação de serviço público e a dignificação dos trabalhadores, o STAL vai continuar a defender aumentos salariais, melhores condições de trabalho, a negociação de carreiras e a retirada formal de todos os processos disciplinares com vista ao despedimento relativos ao exercício do direito à greve.

Tópico