|Ecalma

Câmara Municipal de Almada não paga salários na Ecalma

O executivo camarário não garantiu o financiamento à empresa Ecalma/Wemob, da qual é o único accionista, alegando problemas de tesouraria.

Créditos / abrilabril

Reunidos em plenário esta segunda-feira, os trabalhadores decidiram «não baixar os braços» enquanto não forem pagos os salários relativos ao mês de Maio e os subsídios de férias de 2019.

Em declarações ao AbrilAbril, Pedro Rebelo, dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL/CGTP-IN), afirmou que na resolução aprovada em plenário e entregue ao executivo da Câmara Municipal de Almada (CMA) fica patente que os trabalhadores não deixam para trás nenhuma das outras reivindicações.

«Há aqui uma tentativa de deslocar as reivindicações, parece-nos. Mas, a par da exigência do pagamento [dos salários em atraso], os trabalhadores mantêm as reivindicações pelo aumento dos salários, regulamentação das carreiras, melhores condições de trabalho, fim do assédio no local de trabalho e dos processos disciplinares», referiu.

Os trabalhadores não aceitam os argumentos contraditórios da presidente da Câmara de que teria havido um problema administrativo mas também problemas de tesouraria por falta de receita durante o estado de emergência e calamidade.

«É verdade que a principal fonte de receita, as multas, deixou de entrar durante o estado de emergência, mas por isso mesmo deveria ter havido um reforço do orçamento por parte do executivo, garantindo que os trabalhadores não eram prejudicados», afirmou o dirigente.

O dirigente critica ainda as afirmações «descabidas» da presidente da Câmara, que relaciona as dificuldades financeiras com o facto de não ter recorrido ao lay-off, quando este regime não se aplica a empresas públicas.

«Houve um aumento da massa salarial mas não se traduziu em aumentos substanciais para os trabalhadores», lembrou, acrescentando que continuam sem conhecer a macro-estrutura da empresa.

Alguns dirigentes e delegados sindicais estarão hoje à porta das instalações da Ecalma/Wemob para denunciar esta situação e quinta-feira haverá outro plenário. Em breve será emitido um pré-aviso de greve.

Tópico