|indústria automóvel

Greve na Novares de Leiria arranca com grande adesão

O turno das 5h da manhã ficou comprometido devido à paralisação dos trabalhadores da fábrica da indústria automóvel, que exigem aumentos salariais.

O turno das 13h também registou uma forte adesão, informou o sindicato.Créditos / SITE CRSA

A greve convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Centro-Sul e Regiões Autónomas (SITE CSRA/CGTP-IN) abrange o período entre as 5h do dia 4 de Setembro e as 5h do dia 5, conforme decidido pelos trabalhadores da fábrica de Leiria.

A paralisação registou uma forte adesão entre os 600 trabalhadores da empresa que trabalham por turnos, informou o sindicato, acrescentando que muitos foram os que se concentraram à porta da fábrica, de madrugada, para o piquete.

A Comissão Sindical do SITE CSRA nas instalações da Novares no Vale da Arieira, Leiria, já tinha apresentado o caderno reivindicativo a 24 de Abril deste ano, previamente aprovado em plenário no dia 9 desse mês.

Na proposta reivindicativa exige-se uma actualização salarial de 40 euros na remuneração-base de todos os trabalhadores, com efeitos a Janeiro de 2019, o aumento do subsídio de alimentação para sete euros, o pagamento das deslocações entre a casa e o trabalho, a 15 cêntimos por quilómetro, e o estabelecimento de 25 dias úteis de férias anuais.

No final de Agosto, os trabalhadores das instalações de Torres Novas da mesma empresa haviam manifestado a sua solidariedade para com os colegas da fábrica de Leiria.

A Novares, multinacional francesa que até Setembro de 2017 se chamava Mecaplast Key Plastics, produz componentes para as principais marcas da indústria automóvel.

Tópico