|Triumph

Delegação da ACT na antiga Triumph

Uma delegação da Autoridade para as Condições no Trabalho (ACT) esteve, esta terça-feira, na Gramax (antiga Triumph), de forma a acelerar o processo de pagamento do subsídio de desemprego.

Os trabalhadores da antiga Triumph mantêm vigílias fora do horário de laboração da fábrica para impedir a saída de material e para prestar apoio uns aos outros.
Os trabalhadores da antiga Triumph mantêm vigílias fora do horário de laboração da fábrica para impedir a saída de material e para prestar apoio uns aos outros.Créditos

Conforme noticiado ontem, a ACT esteve hoje presente na fábrica da Gramax em Sacavém.

Em declarações ao AbrilAbril, a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Curtumes do Sul (Sintevcc/CGTP-IN), Manuela Prates, afirmou que tal é consequência dos «vários contactos e actos realizados nos últimos meses para aliviar a "situação dramática" dos trabalhadores».

Devido à falta de pagamentos, os trabalhadores estão sem dinheiro para as suas despesas diárias, havendo vários casos em que a única refeição diária é tomada na vigília, e outros que têm de engolir o orgulho e recorrer aos filhos.

A presença da delegação da ACT na fábrica, composta por vários inspectores, teve como objectivo confirmar o número exacto de trabalhadores afectados e de salários em atraso, de forma a simplificar o processo para que os trabalhadores tenham acesso ao subsídio de desemprego.

Os trabalhadores da antiga Triumph permanecem diariamente à porta da fábrica, fora do horário de laboração da fábrica, em defesa dos seus salários e para impedir a retirada de máquinas e materiais da empresa, que se encontra em processo de insolvência.

Tópico