|aumentos salariais

Aumentos salariais na Gestamp e na AIS

Os trabalhadores da Gestamp e da AIS, empresas da indústria automóvel localizadas no distrito de Évora, conquistaram aumentos dos salários e melhorias de outras condições de trabalho, informou o SITE Sul.

A Gestamp, em Vendas Novas, esteve parada em Janeiro. Com um processo negocial iniciado em Outubro, os trabalhadores e o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (SITE Sul/CGTP-IN) chegaram este mês a acordo com a direcção da fábrica da multinacional espanhola.

Num comunicado, o sindicato informa que, em plenário, os trabalhadores decidiram aprovar um acordo que representa um crescimento mensal de 50 euros (45 de salário e cinco de refeição), a que acresce um prémio trimestral de 75 euros relativo à assiduidade. Ficou ainda estabelecido o pagamento de 90% das horas trabalhadas ao sábado com um acréscimo de 150% sobre a remuneração normal.

Para além disso, os trabalhadores da Gestamp Vendas Novas mantiveram todos os direitos conquistados nos acordos anteriores.

Trabalho nocturno valorizado na AIS

Na AIS Portugal, em Montemor-o-Novo, o sindicato reuniu em Novembro com representantes da direcção da empresa, apresentando as reivindicações para o ano 2020, acompanhadas de um abaixo-assinado que continha 129 assinaturas.

Recordando que a sua intervenção tem sido sempre o motor da melhoria das condições de trabalho e de vida destes trabalhadores, o SITE Sul refere que, das reivindicações apresentadas, faziam parte: a exigência de aumento geral dos salários de todos os trabalhadores, a regularização das categorias profissionais e o fim dos contratos de trabalho através de empresas de trabalho temporário. Foi também exigio o pagamento do trabalho nocturno a partir das 20h.

Segundo a fonte sindical, os trabalhadores obtiveram um aumento de 35 euros nos salários e de 40 cêntimos no subsídio de refeição.

Será pago como nocturno o trabalho realizado das 20h às 7h. O SITE Sul lembra que «esta regra, que sempre foi praticada pelas várias empresas do sector, passa em 2020 a ser praticada também na AIS Portugal, numa clara cedência às reivindicações» apresentadas pelo sindicato e aprovadas pelos trabalhadores.

Tópico