|serviço público postal

PSD, CDS-PP e PS chumbaram renacionalização dos CTT

Na hora de votar a recuperação da empresa estratégica nacional, PS, PSD e CDS-PP votaram contra, enquanto o PAN se absteve. 

CréditosTiago Petinga / Agência Lusa

Os projectos de lei do BE, pela nacionalização dos CTT, e do PCP, que defendia o regime de recuperação do controlo público dos Correios, tiveram votação idêntica. As bancadas do PS, PSD e CDS-PP, juntamente com o deputado não inscrito, Paulo Trigo Pereira, rejeitaram os diplomas e o PAN absteve-se.

Na votação do projecto de resolução do PEV pela reversão da privatização dos CTT, a única diferença foi o voto do deputado não inscrito, que votou favoravelmente o diploma, em sintonia com as bancadas do BE, PCP e PEV. 

O contrato dos CTT para o serviço postal universal termina no final de 2020. Apesar dos contínuos encerramentos que ameaçam vastas zonas do território, havendo já 33 concelhos sem serviço postal, no mês de Janeiro o primeiro-ministro António Costa refugiu-se na duração do contrato de concessão e no papel que o regulador deve exercer para concluir que «não nos devemos precipitar porque temos que cumprir as regras». 

Tópico