|EUA

Riqueza dos multimilionários nos EUA cresceu exponencialmente com a pandemia

Os multimilionários dos EUA viram crescer a sua riqueza em 1,8 milhões de milhões de dólares durante a pandemia, o que «evidencia os defeitos do sistema económico e fiscal» do país, segundo um relatório.

Apenas 26% dos inquilinos afro-americanos disseram estar confiantes em poder continuar a pagar a renda
Apenas 26% dos inquilinos afro-americanos disseram estar confiantes em poder continuar a pagar a renda CréditosValerie Macon / CNBC

De acordo com a actualização recente do inequality.org, um projecto do Institute for Policy Studies (IPS), os multimilionários viram a sua fortuna colectiva aumentar de três milhões de milhões de dólares, no início da crise da Covid-19, em Março de 2020, para 4,8 milhões de milhões de dólares em Agosto de 2021, o que equivale a um crescimento de 62%.

O aumento da riqueza em tempos de pandemia dos mais ricos dos Estados Unidos, refere o relatório, daria para pagar mais de metade de um pacote orçamental que os democratas procuram fazer avançar para tornar a saúde, a habitação e a educação, entre outras coisas, mais acessíveis.

Só Elon Musk, director da SpaceX e da Tesla, viu aumentar a sua riqueza, desde Março de 2020, em 150 mil milhões de dólares – 612% em 17 meses – e destaca-se na lista dos 15 multilionários com maior riqueza, segundo dados da Forbes divulgados pelo inequality.org.

«Não só cresceu a riqueza dos multimilionários, mas também o número destes: em Março do ano passado havia 614 norte-americanos com contas bancárias de dez algarismos; neste Agosto, há 708», revela o informe.

Este aumento dos muito ricos e da sua riqueza durante a pandemia contrasta com o impacto devastador do coronavírus na classe trabalhadora do país, uma vez que mais de 86 milhões de pessoas perderam os seus empregos, quase 38 milhões foram infectadas pelo vírus e mais de 625 mil morreram por causa dele.

De acordo com o inequality.org, «uma maneira mais directa de tributar a riqueza de um multimilionário é tributar a própria fortuna, em vez do seu crescimento apenas». Se o imposto sobre as fortunas já proposto estivesse em vigor em 2020, os multimilionários dos EUA teriam pago 114 mil milhões nesse ano, afirma ainda o texto.

As pesquisas realizadas no país mostram que a grande maioria dos norte-americanos defende que as grandes empresas e os ricos precisam de começar a pagar os impostos de forma justa.

Segundo os inquéritos realizados, existe o entendimento de que os investimentos sociais devem ser suportados por impostos mais elevados sobre os ricos e as grandes empresas – que encontram na lei, muitas vezes, forma de escapar à tributação –, em vez de recair sobre os salários dos trabalhadores.

Tópico