|Palestina

Quatro palestinianos mortos em poucas horas por forças israelitas

No espaço de uma semana, pelo menos nove palestinianos foram mortos pelas forças de ocupação em vários pontos da Cisjordânia. A WAFA dá conta de dezenas de feridos e de detidos.

Na última semana, as forças de ocupação israelitas prenderam centenas de palestinianos na Margem Ocidental (imagem de arquivo) 
Na última semana, as forças de ocupação israelitas prenderam centenas de palestinianos na Margem Ocidental (imagem de arquivo) Créditos / WAFA

Esta manhã, as forças israelitas entraram nas localidades de al-Yamun e Kafr Dan, perto de Jenin, mataram dois palestinianos e feriram pelo menos seis.

Uma das vítimas mortais foi identificada como Shas Kamamji, irmão de Ayham Kamamji, um dos seis prisioneiros que em Setembro do ano passado conseguiram escapar da prisão de alta segurança de Gilboa.

O segundo assassinado é Mustafa Abu-Arub, informa a agência WAFA, acrescentando que as forças de ocupação dispararam sobre os jovens que lhes fizeram frente, tendo detido pelo menos quatro.

Ontem à noite, as forças israelitas mataram a tiro um rapaz de 14 anos na aldeia de Husan, nas imediações de Belém, durante um raide. O Ministério da Saúde identificou-o como Qusai Hamamra.

O rapaz foi atingido a tiro durante confrontos com os militares israelitas, depois de estes terem cercado a localidade e vedado os acessos a ela.

O autarca de Husan, Mohammad Sabatin, disse à WAFA que, ao saberem da morte de Hamamra, os habitantes se revoltaram ainda mais e os confrontos se intensificaram. Pelo menos quatro pessoas foram feridas com fogo real e dezenas sofreram de asfixia por inalação de gás lacrimogéneo.

Em Silwad, ontem à noite registaram-se fortes confrontos nas ruas, depois de as forças israelitas entrarem na localidade, junto a Ramallah, com grande violência, recorrendo a fogo real e gás lacrimogéneo.

O Ministério palestiniano da Saúde confirmou a existência de uma vítima mortal dos disparos israelitas, identificada como Omar Elayan, de 20 anos, e de pelo menos 11 feridos, alguns dos quais tiveram de ser hospitalizados.

Os soldados prenderam ali três pessoas, indica a WAFA, que dá conta de outras 14 detenções ao longo do dia. A estas há que juntar as 17 verificadas durante a madrugada de terça para quarta-feira.

Já hoje, a agência refere que foram presos 33 palestinianos durante a madrugada, em vários pontos da Cisjordânia. Neste sentido, os palestinianos falam em «onda» de detenções e raides em grande escala.

Tensão crescente e mais avisos das facções, unidas

A tensão na Cisjordânia ocupada tem vindo a aumentar desde o início do mês do Ramadão, com a Polícia israelita a reprimir de forma violenta as concentrações de palestinianos na zona de Bab al-Amoud (Porta de Damasco), em Jerusalém Oriental ocupada.

Entretanto, as várias facções da resistência têm lançado avisos repetidos de que poderão responder a esta violência, num contexto que faz lembrar o de Abril/Maio do ano passado.

Ontem, as facções palestinianas em Gaza declararam uma «mobilização popular geral» em todas as localidades onde haja palestinianos, tanto «na diáspora como nos territórios ocupados», informa a Al Mayadeen.

Em comunicado, afirmaram que decidiram manter o gabinete conjunto de operações em sessão permanente «para seguir os desenvolvimentos e tomar as medidas necessárias», acrescenta a fonte.

Tópico