|Brasil

Protesto em Lisboa nos 500 dias da prisão política de Lula da Silva

Os actos de solidariedade com Lula da Silva acontecem esta terça-feira, no Brasil e também na Europa. Em Lisboa, o protesto está marcado para as 18h na Praça Luís de Camões. 

Acção da greve geral na cidade de Assu, no Rio Grande do Norte, Brasil, a 14 de Junho de 2019
Acção da greve geral na cidade de Assu, no Rio Grande do Norte, Brasil, a 14 de Junho de 2019Créditos / PT-Partido dos Trabalhadores

Amanhã cumprem-se 500 dias de prisão política do ex-presidente do Brasil, Lula da Silva. Para o Comité Internacional Lula Livre, trata-se de «500 dias de injustiça». Os protestos desta terça-feira, 20 de Agosto, integram a Jornada Internacional de Solidariedade, que denuncia «a ruptura do Estado Democrático de Direito no Brasil», e realizam-se não apenas no Brasil, mas também em várias cidades da Europa e da América do Sul. Em Lisboa, e tal como aconteceu em Abril, a acção decorre na Praça Luís de Camões.

O comité lembra a informação trazida a público pelo The Intercept, que revela «a injustiça e ilegalidade do processo conduzido sem provas por um juiz imparcial que dava conselhos ao procurador».

A prisão de Lula, sublinha, «é entendida como parte desse projecto que tenta descredibilizar e criminalizar o PT a fim de impedir a participação do candidato com mais intenções de votos no processo eleitoral, tornando possível a ascensão de um candidato fascista ao poder, que tem empregado no Brasil uma política de destruição a todos os avanços progressistas conquistados».

O comité informa que as iniciativas de amanhã são abertas «a todos e todas que defendem o Estado democrático de direito e os direitos humanos», e recorda o abaixo-assinado pela anulação dos julgamentos de Lula da Silva, que recolheu até ao momento mais de 80 mil assinaturas. 

Tópico