|Cuba

Organizações progressistas defendem levantamento do embargo contra Cuba 

O aumento das sanções «perversas e cruéis» contra Cuba levou mais de 130 organizações nos EUA a juntarem-se para defender o levantamento do embargo que dura há quase 60 anos. 

A Assembleia Geral das Nações Unidas tem votado de forma esmagadora contra o bloqueio imposto pelos EUA contra Cuba
A Assembleia Geral das Nações Unidas tem votado de forma esmagadora contra o bloqueio imposto pelos EUA contra Cuba Créditos / Celag

Organizações progressistas nos EUA criaram a Aliança pelo Compromisso e Respeito a Cuba (Acere, na sigla em inglês), com o objectivo de defender o levantamento do bloqueio económico, financeiro e comercial imposto pelos EUA à ilha caribenha desde a Revolução Cubana.

Segundo explicou a porta-voz, Medea Benjamim, citada pela TeleSur, a iniciativa nasce devido ao agravamento das sanções, especialmente no contexto do surto epidemiológico.

A representante refere que elas são «perversas e cruéis», acrescentando que, perante a pandemia, fica mais claro que se trata de «uma atrocidade». Simultaneamente critica o Congresso dos EUA pelo facto de não estar a fazer nada para as impedir.

Medea assegura que há um grande número de norte-americanos que são contrários ao bloqueio, e que muitos estão dispostos a lutar contra ele. 

«A nossa aliança é um espaço para reunir as pessoas dispostas a defender o fim das políticas de embargo económico e fomentar as relações bilaterais entre os EUA e Cuba», revela a activista.

Apesar do cerco imposto pelos EUA a fim de coarctar a soberania da maior ilha das Antilhas, Cuba vem afirmando que a sua soberania, independência e compromisso com a causa dos povos da América Latina e das Caraíbas não são negociáveis.

Tópico