|México

O Fondo de Cultura Económica vai abrir dez mil salas de leitura no México

Com o Instituto Nacional para a Educação dos Adultos, a editorial mexicana quer criar milhares de espaços de leitura em todo o país para fomentar esse hábito nas pessoas que aprendem a ler e a escrever.

Créditos / cobertura360.mx

Com o propósito de promover a alfabetização e de tornar os livros acessíveis a mais pessoas, o Fondo de Cultura Económica (FCE) prevê encerrar o ano com dez mil salas de leitura, anunciou esta quarta-feira o seu director, Paco Ignacio Taibo II.

Isto, disse, será alcançado por via das alianças que o FCE tem com diversas instituições, como o Instituto Nacional para a Educação dos Adultos (INEA).

Numa conferência na Cidade do México intitulada «O prazer da leitura», organizada precisamente pelo INEA, Taibo destacou a intenção de realizar iniciativas com vista a levar a leitura a todos os locais onde decorrem trabalhos de alfabetização e existam potenciais leitores.

Ao contrário do que ocorria noutros tempos, agora as pessoas podem encontrar livros a partir de 10 ou 20 pesos (46 ou 92 cêntimos) nos bairros mais humildes do país. «Porque um livro em armazém não serve para nada», acrescentou, citado pela Prensa Latina.

O responsável editorial reconheceu o «trabalho activista» dos funcionários públicos do INEA para levar a leitura a todo o país americano, inclusive a acampamentos de jornaleiros agrícolas migrantes.

«A alfabetização tem muitas coisas positivas para as pessoas, entre elas, a defesa básica da vida, para evitar inclusive fraudes contra elas próprias, para que saibam ler e saibam aquilo que lhes dão a assinar, além de que aprender a ler e escrever permite encontrar na leitura um prazer e não uma obrigação», destacou.

O editor e intelectual insistiu que a leitura não deve ser uma obrigação, mas que todos devem saber ler e entender tudo o que se lê.

Por seu lado, a directora do INEA, Teresa Guadalupe Reyes Sahagún, afirmou que vale a pena o esforço para que as pessoas possam disfrutar do prazer de ler.

O plano em curso integra-se nas acções conjuntas que o INEA e o FCE levam a cabo para fomentar a leitura entre as pessoas que estão a aprender a ler e escrever, bem como entre aquelas que fazem os estudos primários seguindo o modelo educativo do Instituto.

Tópico