|Síria

Novo lote de petróleo sírio roubado pelos EUA

Forças militares norte-americanas que ocupam zonas no Nordeste da Síria levaram para o Iraque um novo lote de petróleo saqueado das jazidas petrolíferas sírias, revelaram fontes na província de Hasaka.

De acordo com o governo sírio, as forças de ocupação norte-americanas dominam 90% das zonas petrolíferas do país 
De acordo com o governo sírio, as forças de ocupação norte-americanas dominam 90% das zonas petrolíferas do país Créditos / PressTV

As fontes, radicadas na região de al-Yarubiyah, disseram à agência Sana, esta quinta-feira, que uma caravana composta por 40 camiões-cisterna carregados com combustível entrou no Iraque através da passagem fronteiriça ilegal de al-Mahmudiya, dirigindo-se para as bases que as tropas norte-americanas ali têm.

As autoridades de Damasco denunciam que as tropas de Washington, ilegalmente presentes na Síria, saqueiam, em cumplicidade com as milícias das chamadas Forças Democráticas Sírias (FDS), o petróleo, o trigo e a cevada, privando o povo sírio destes recursos.

Com as forças de ocupação norte-americanas e as suas milícias mercenárias a dominarem 90% das zonas de produção petrolífera da Síria, mantém-se o saque aos seus recursos – num contexto de escassez de derivados de petróleo e de crise energética no país levantino.

A Síria produzia, antes da guerra imposta, em 2011, mais de 380 mil barris diários de crude – uma produção que foi reduzida para 80 mil barris, 66 mil dos quais são saqueados pelas tropas norte-americanas e as FDS.

O governo sírio estima que as perdas totais no sector petrolífero – provocadas pelas acções hostis das forças de ocupação norte-americanas e os vários grupos armados ilegais que financia e apoia – tenham chegado a 105 mil milhões de dólares.

Além disso, 235 trabalhadores do sector perderam a vida, 46 ficaram feridos e 112 continuam desaparecidos, depois de terem sido sequestrados.

No que respeita ao trigo, a Síria produzia também o suficiente para o consumo interno e para a exportação, mas a produção foi reduzida de cerca de cinco milhões de toneladas anuais para pouco mais de um milhão, sobretudo devido à saída de quase um milhão de hectares do plano nacional, por estarem em zonas ocupadas pelas forças militares norte-americanas.

Cuba e Síria reafirmam «relações bilaterais sólidas» e vontade de as potenciar

Numa conversa telefónica, mantida esta quinta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Síria, Faisal al-Mekdad, e o seu homólogo cubano, Bruno Rodríguez, abordaram o estado das relações bilaterais e as melhores formas de as potenciar, indica a Sana.

O ministro sírio destacou as «históricas relações» entre «os dois povos amigos», tendo reiterado o apoio «constante e incondicional» a Cuba face ao «injusto» bloqueio económico imposto à Ilha pelos Estados Unidos.

Por seu lado, Rodríguez reiterou o apoio cubano à Síria na sua luta contra o terrorismo e perante as «injustas e desumanas» sanções económicas que lhe são impostas.

Fez ainda um apelo ao reforço dos laços de amizade existentes entre ambos os países, bem como a uma maior coordenação mútua em fóruns internacionais.

Segundo revela a Sana, a chamada foi também apro6veitada para tratar dos preparativos da participação da Síria na cimeira dos chefes de Estado e de governo do Grupo 77 + China, que Cuba acolhe em meados de Setembro.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui