|Palestina

Milhares de casas palestinianas enfrentam risco de demolição em Jerusalém Oriental

Cerca de 20 mil casas de famílias palestinianas em Jerusalém Oriental ocupada estão em risco de ser demolidas pelas autoridades israelitas, com o argumento de que não possuem licenças de construção.

Soldados israelitas junto a uma máquina que deita abaixo uma casa palestiniana na Margem Ocidental ocupada, em Março de 2021 
Soldados israelitas junto a uma máquina que deita abaixo uma casa palestiniana na Margem Ocidental ocupada, em Março de 2021 Créditos / PressTV

O alerta foi dado pelo assessor do Gabinete da Presidência palestiniana para os Assuntos de Jerusalém, Ahmad al-Ruwaidi, que confirmou a existência de mais de 20 mil casas propriedade de famílias palestinianas ameaçadas de demolição pela ocupação israelita em Jerusalém, com o pretexto de não terem autorização.

O funcionário governamental explicou em comunicado que os residentes palestinianos apenas podem construir em 12% da área de Jerusalém Oriental, enquanto os colonos israelitas estão autorizados a construir em 42% desse território, informa o portal libanês al-Ahed.

No documento, al-Ruwaidi alertou para o grave perigo que ameaça os residentes do Bairro de Sheikh Jarrah, perto da Cidade Velha de Jerusalém, caso aceitem os termos do acordo proposto por um tribunal, que serve os interesses de uma organização de colonos israelitas.

Ahmad al-Ruwaidi acrescentou que a política israelita de demolições no Bairro de at-Tur e noutros pontos da cidade de Jerusalém se insere no quadro de expulsão da população local e de esvaziamento da cidade do povo palestiniano.

No passado dia 1, o Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (UNOCHA, na sigla em inglês) afirmou num relatório que a demolição de casas na Margem Ocidental e em Jerusalém Oriental ocupadas aumentou 21% este ano por comparação com o ano anterior.

Ao demolir as casas e estruturas palestinianas na Cisjordânia ocupada, as autoridades israelitas alegam que estas foram construídas sem licenças, que são praticamente impossíveis de obter.

Por vezes, lembra a PressTV, as forças de ocupação ordenam aos proprietários palestinianos que deitem abaixo as suas próprias casas ou que paguem os custos aos municípios, caso o não façam.

Mais de 600 mil israelitas vivem em mais de 230 colonatos construídos nos territórios ocupados da Margem Ocidental e de Jerusalém Oriental desde 1967. Todos são considerados ilegais à luz do direito internacional.

Tópico