|Bolívia

Luis Arce eleito para a presidência da Bolívia, revela sondagem à boca das urnas

O candidato presidencial do Movimento para o Socialismo (MAS) foi eleito à primeira volta, com mais de 50% dos votos, segundo a sondagem realizada pela empresa Ciesmori para a cadeia de TV Unitel.

Luis Arce e o MAS celebram a vitória eleitoral na Bolívia, que deverá ser confirmada esta terça-feira com a divulgação dos resultados oficiais
Luis Arce e o MAS celebram a vitória eleitoral na Bolívia, que deverá ser confirmada esta terça-feira com a divulgação dos resultados oficiais Créditos / Blog Patria Grande

A cadeia nacional de televisão Unitel, que divulgou os resultados, precisou que Luis Arce recebeu 52,4% dos votos, evitando assim uma segunda volta frente ao candidato Carlos Mesa (Comunidad Ciudadana), que era a aposta da direita para se manter no poder, na sequência do golpe de Estado de Novembro de 2019.

De acordo com a sondagem realizada pela Ciesmori (com 1% de margem de erro), Mesa obteve 31,5% dos votos, apesar de ser apoiado pelo governo golpista, da desistência de outros candidatos da direita e do aconchego mediático, para evitar o regresso do MAS ao poder.

Estava previsto que os resultados da sondagem à boca das urnas fossem anunciados pela Unitel às 20h (hora de La Paz), mas, segundo informa a Prensa Latina, isso só ocorreu quatro mais tarde, pelo que o Supremo Tribunal Eleitoral (STE) foi acusado de bloquear a saída da sondagem.

O resultado agora anunciado, que terá de ser confirmado pelos números oficiais – saem amanhã, segundo o STE –, ultrapassa em termos percentuais aquilo que as sondagens já vinham a mostrar há algum tempo, colocando sempre Arce como favorito e, nalguns casos, à beira da vitória na primeira volta.

«Os bolivianos recuperaram a democracia e a esperança»

Num discurso após a divulgação da sondagem, que lhe dá maioria absoluta, Luis Arce enalteceu o comportamento do povo numa jornada eleitoral com grande participação e que, no geral, decorreu de forma pacífica, apesar da militarização das ruas, denunciada ao longo do dia pelo MAS.

«Os bolivianos recuperaram a democracia e sobretudo a esperança», destacou Arce, afirmando que vai governar para todos os bolivianos e «construir um governo de unidade nacional, construir a unidade nacional».

«Depois de o governo de facto ter mergulhado o país 11 meses na incerteza», os bolivianos «recuperam também a certeza», sublinhou, acrescentando que «vai trabalhar e voltar a conduzir o processo de mudança sem ódio e aprendendo e ultrapassando os erros», indica a Prensa Latina.

Assumiu ainda a obrigação de responder às expectativas do povo e às esperanças que este está a colocar no MAS. «Para o povo o que é do povo», acrescentou.

Evo Morales, ainda no exílio, festejou a vitória do MAS

O ex-presidente boliviano recorreu à sua conta de Twitter para manifestar a sua satisfação com os resultados expressos pela sondagem da Ciesmori, que colocam Arce como presidente da Bolívia e dão ao MAS maioria em ambas as câmaras da Assembleia Legislativa Plurinacional.

Morales qualificou a jornada eleitoral como «histórica» e lembrou que o povo conseguiu resistir ao golpe de Estado, a dois massacres e a um governo golpista com uma administração marcada pela corrupção e a má gestão da emergência sanitária.

Por seu lado, a presidente autoproclamada da Bolívia, Jeanine Áñez, afirmou que ainda não há resultados oficiais, mas reconheceu na sua conta de Twitter que, com os dados disponíveis, «o Sr. (Luis) Arce e o Sr. (David) Choquehuanca ganharam as eleições».

Tópico