|França

França: CGT anuncia jornada de mobilização pela valorização dos salários

Num contexto de inflação galopante, a Confederação Geral do Trabalho apela à mobilização de todos os trabalhadores em defesa da valorização salarial e contra o aumento da idade da reforma.

As manifestações de 14 de Junho foram as maiores desde o início da contestação à reforma laboral em França
A CGT defende o aumento geral dos salários e a reforma aos 60 anos (imagem de arquivo) Créditos

O executivo francês está a responder «às urgências sociais e ao aumento das desigualdades com medidas ineficazes», acusa a central sindical, lembrando que mantém na agenda projectos de retrocesso social como o aumento da idade da reforma.

Em simultâneo, lê-se num comunicado publicado no portal da Confederação Geral do Trabalho (CGT), as empresas recebem cada vez mais ajudas públicas (o montante estimado é superior a 157 mil milhões de euros, só este ano), e grandes empresas, como TotalEnergies, pagam cada vez mais dividendos aos seus accionistas.

Neste contexto, a CGT sublinha que só as mobilizações e as greves levam as empresas a abrir processos de negociação e lembra que foram estas lutas que permitiram conquistar aumentos salariais, apesar das «repressões».

Aumento geral dos salários é fundamental para a Segurança Social

No documento em que enuncia os propósitos da jornada de mobilização marcada para o próximo dia 10 de Novembro, a CGT defende que o aumento dos salários representa mais contribuições para a Segurança Social, ou seja, mais meios para os cuidados de saúde, para a educação, para a deficiência, para a protecção em caso de acidente laboral.

O aumento geral dos salários e «uma outra distribuição da riqueza» são também «essenciais para ter boas reformas aos 60 anos» e, desse modo, responder a «um projecto de reforma das pensões injusto e rejeitado pela grande maioria da população», que pretende adiar a idade da reforma, em França, para os 65 anos.

A defesa do direito a envelhecer, com boas reformas, a partir dos 60 anos – mais cedo no caso das profissões consideradas penosas – é uma das reivindicações da jornada de luta descentralizada agendada pela CGT para dia 10 de Novembro.

O aumento geral dos salários e a indexação automática de todos os níveis remuneratórios ao custo de vida são igualmente reclamados.

Tópico