|Vietname

Descoberta no Vietname bomba norte-americana por explodir

Uma bomba de 200 quilos, do tempo da Guerra Americana, foi encontrada na província central de Quang Binh. Estima-se que um quinto do Vietname esteja contaminado por munições não detonadas.

Membro de equipa de desminagem em acção na região central do Vietname (imagem de arquivo) 
Membro de equipa de desminagem em acção na região central do Vietname (imagem de arquivo) Créditos / South China Morning Post

Com 30 centímetros de diâmetro, 1,5 metros de comprimento e peso superior a 200 quilogramas, o artefacto do tipo MK82 foi encontrado a 1,2 metros de profundidade por um grupo de agricultores na comuna densamente habitada de Ly Trach, informou o Comité Popular local.

A bomba, que mantinha o seu poder destrutivo, foi levada para um local seguro para ser desactivada, numa acção coordenada entre o Comando Militar da província e sapadores especializados em desminagem e «limpeza do terreno», refere a Vietnam News Agency (VNA).

De acordo com o Ministério vietnamita do Trabalho, Inválidos e Assuntos Sociais, o país do Sudeste Asiático é um dos mais contaminados com munições não detonadas (UXO, do inglês unexploded ordnance).

Estima-se que cerca de 800 mil toneladas de UXO tenham sido deixadas no Vietname quando a guerra imperialista acabou, em 1975, a maior parte das quais na região central do país. Segundo as autoridades vietnamitas, aproximadamente um quinto do país está contaminado com munições não detonadas, refere a fonte.

Os acidentes com estes artefactos ainda são frequentes no país asiático. Embora nunca tenham declarado guerra ao Vietname, os Estados Unidos fizeram-na e continuam a fazê-la tecnicamente, pois uma parte das minas e bombas que lançaram sobre este país – 15 milhões de toneladas, segundo as autoridades vietnamitas, quatro vezes mais que as utilizadas em toda a Segunda Guerra Mundial – continua a matar e a desmembrar pessoas.

Desde o fim da guerra, em 1975, os incidentes com as UXO mataram mais de 42 mil vietnamitas e deixaram feridos cerca de 62 mil, muitos dos quais com elevado nível de incapacidade física.

Tópico