|artes do espectáculo

Trabalhadores do São Carlos e Companhia Nacional de Bailado avançam com greves

Os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos e da Companhia Nacional de Bailado decidiram avançar com greves a espectáculos em Lisboa e no Porto, face ao incumprimento da tutela em várias matérias.

Companhia Nacional de Bailado
Companhia Nacional de BailadoCréditos / CENA-STE

De acordo com André Albuquerque, do Sindicato dos Trabalhadores do Espectáculo, do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE/CGTP-IN), o pré-aviso de greve, decidido na segunda-feira em plenário, abrange «todos os trabalhadores» do Organismo de Produção Artística (OPART), que gere as duas estruturas.

A greve refere-se às apresentações da ópera La Bohème, a 7, 9, 11 e 14 de Junho no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, do bailado Dom Quixote, entre 11 e 13 de Julho no Teatro Rivoli, no Porto, e aos espectáculos incluídos no Festival ao Largo, que decorre habitualmente em Julho.

As greves foram decididas por «quebra de confiança em relação à administração e à tutela [Ministério da Cultura]», que não cumpriram os compromissos assumidos no acordo, estando apenas a ser cumprida «a parte relativa à higiene e segurança».

Os trabalhadores reivindicam, entre outros, «o cumprimento do acordo relativo ao regulamento interno de pessoal, o aumento geral de salários, o cumprimento do pagamento de trabalho suplementar e a revisão do regime geral dos bailarinos».

Em Março, os trabalhadores técnicos do Teatro Nacional de São Carlos suspenderam a greve prevista, depois de uma reunião com a ministra da Cultura, na qual ficou definido que iria ser criado um grupo de trabalho para redigir um regulamento interno, «o mais breve possível».

Na altura, André Albuquerque disse que «as duas tutelas [ministérios da Cultura e das Finanças] expressaram que iam constituir um grupo de trabalho para o Regulamento Interno, a estar pronto em Abril» e que, quanto às condições de trabalho, higiene e segurança, iriam ser «elencadas até ao fim da actual temporada, em todas as zonas técnicas e corredores, para que comece a ser desenvolvido no início da próxima temporada, em Setembro».

Com agência Lusa

Tópico