|transportes

Trabalhadores de transporte rodoviário privado marcam dois dias de greve

Nos próximos dias 20 de Setembro e 1 de Outubro, os trabalhadores das empresas do sector privado rodoviário de passageiros vão estar em luta pelo aumento dos salários e outros direitos. 

Créditos / arronchesemnoticias.blogspot.com

A Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), juntamente com mais duas organizações sindicais do sector, avançou com a convocação de greves nacionais devido a um bloqueio negocial da contratação colectiva, que leva a que a generalidade dos salários ronde o salário mínimo nacional.

«Apresentámos propostas que não obtiveram respostas e, perante isto, terão que ser os trabalhadores, unidos em torno da sua organização sindical de classe, a mostrarem ao patronato do sector, que não aceitam a desvalorização e degradação do seu salário», lê-se numa nota da Fectrans.

A estrutura sindical adianta que os trabalhadores deste sector «têm direito ao aumento dos seus salários e não podem aceitar que o futuro seja salário mínimo nacional, «como pretende a ANTROP e a generalidade do patronato deste sector». A par do aumento imediato do salário-base do motorista para 750 euros, reclama-se que o salário dos demais trabalhadores tenha uma actualização na mesma percentagem. 

A actualização do subsídio de refeição «nos mesmos termos percentuais do aumento do salário do motorista» e a redução do intervalo de descanso para o máximo de duas horas fazem também parte do caderno reivindicativo deste sector.

Tópico