|Repressão patronal

Sindicato reuniu com Governo sobre casos Pietec e Fernando Couto

Representantes da CGTP-IN e trabalhadores reuniram na quinta-feira com o Ministro do Trabalho, no sentido de uma resolução para os casos de repressão patronal na Fernando Couto e na Pietec - Cortiças.

A reunião decorreu na tarde de anteontem numa série de encontros, dos quais fizeram parte a trabalhadora Cristina Neves Tavares, alvo de repressão na corticeira Fernando Couto, e os trabalhadores da fábrica da Pietec, que lutam contra o despedimento colectivo por não aceitarem o regime de laboração contínua.

Em comunicado, a CGTP-IN refere que a delegação, conduzida pelo seu secretário-geral, Arménio Carlos, foi recebida no Ministério do Trabalho, pelo ministro Vieira da Silva, para «analisar e discutir um conjunto de problemas laborais no sector corticeiro – designadamente violação dos direitos, liberdades e garantias constitucionais».

Recordamos que a 13 de Setembro, a corticeira Fernando Couto foi acusada de sujeitar uma trabalhadora reintegrada a um «verdadeiro inferno», ​​​​com assédio constante e obrigando-a a descarregar os mesmos sacos diariamente ​​​​​​debaixo de temperaturas elevadas. Já na Pietec, os trabalhadores denunciam estar a ser alvo de um despedimento colectivo, após terem rechaçado as tentativas da empresa de impôr o regime de laboração contínua na fábrica de rolhas.

Em declarações aos jornalistas após a reunião, o dirigente do Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte (SOCN/CGTP-IN), Alírio Martins, afirmou que «o ministro ficou muito preocupado com estas situações», tendo assegurado que «até meados da próxima semana nos comunica a sua decisão, no sentido de resolver os dois problemas».

O dirigente sindical salientou ainda que estão previstas novas acções de protesto para o futuro, com vista a «que se faça justiça e a impedir que estes abusos continuem», mas reiterou que vão aguardar pela ​​​​​resposta do ministro e a «solução proposta adequada ao problema».

Tópico