|CGTP-IN

Plenário Nacional de Sindicatos rejeita acordo laboral

O órgão máximo da CGTP-IN entre congressos reuniu-se esta quinta-feira, em Lisboa, para analisar o acordo laboral do Governo, tendo depois seguido numa manifestação até ao Ministério do Trabalho.

CGTP-IN demonstrou o seu «profundo repúdio» ao recente acordo do Governo com patrões e a UGT
CGTP-IN demonstrou o seu «profundo repúdio» ao recente acordo do Governo com patrões e a UGTCréditosMARIO CRUZ / LUSA

De acordo com a Intersindical Nacional, cerca de 800 dirigentes e delegados vindos de todo o País participaram hoje no Plenário Nacional de Sindicatos, realizado no Fórum Lisboa.

Entre os temas de discussão, os participantes analisaram a actual situação político-sindical e os moldes da contestação a desenvolver contra a recente proposta do Governo para alterar a legislação laboral, que será votada na Assembleia da República a 6 de Julho.

Lembramos que, na passada segunda-feira, António Costa assinou o acordo proveniente da concertação social com as associações patronais e a UGT. A CGTP-IN opôs-se ao documento, afirmando que este faz o completo oposto do que o Governo diz sobre ser um instrumento de combate à precariedade.

Durante o plenário, os dirigentes da CGTP-IN aprovaram ainda um parecer detalhado sobre o conteúdo desse acordo, destacando que este consiste em mais um ataque aos trabalhadores, visto que as medidas previstas seguem o ataque à contratação colectiva e não combatem a precariedade, pelo contrário, acabam por desregular ainda mais e legitimar o seu recurso pelas empresas.

Após a conclusão dos trabalhos, os participantes seguiram numa manifestação de protesto, até ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, contra a proposta de lei do Governo, pelo aumento dos salários e a melhoria dos serviços públicos e funções sociais do Estado.

Tópico