|greve parcial

Para os CTT, é preferível não cumprir a lei a contratar mais carteiros

Os carteiros de Faro, que desenvolvem a sua actividade em torno do Centro de Distribuição Postal da cidade, entram amanhã em greve parcial por um período de cinco dias, entre as 8h e as 10h da manhã.

«Salvo raríssimas excepções, a generalidade dos giros [trajectos dos carteiros] estão com um atraso na distribuição de cinco a seis dias», denuncia o comunicado do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN), a que o AbrilAbril teve acesso.

A título de exemplo: «a distribuição no Fórum Algarve só é feita uma vez por semana, tal como acontece com a Rua Luís de Camões, a Rua José Matos, a Rua Miguel Bombarda, o Alto de Santo António, o Jardim do Cardeal, a Rua do Alportel,... e outros locais que a gestão [dos CTT] bem sabe quais são». A supressão de seis giros na cidade foi decidida pela administração, que apoveitou para reduzir postos de trabalho. 

Os habitantes de Faro acabam por ser «os primeiros a conhecer as consequências desses atrasos», lamentam os carteiros. Atrasos estes causados, conscientemente, pela má-gestão da empresa de serviços postais privatizada em 2013, pelo governo PSD/CDS-PP, cujo único interesse é o aumento das margens de lucro.

«Ainda mais grave é a situação de zonas onde a distribuição só é feita em períodos que podem chegar aos dez dias, como é o caso da Rua de São Luís, do Largo do Mercado ou da rua Rua Humberto Delgado», períodos já absurdamente distantes daqueles determinados pela lei, que define uma distribuição postal domiciliária cinco vezes por semana.

Entre as reivindicações definidas pelos carteiros em plenário, encontra-se o «fim imediato de uma gestão atabalhoada do serviço, uma gestão de remendos que configura um confrangedor desconhecimento da gestão da actividade postal», e o fim do «assédio moral sobre os trabalhadores do Centro de Distribuição Postal de Faro».

A contratação de, pelo menos, «mais seis carteiros», seria, já em si, inferior ao número necessário para repôr o serviço na cidade.

A greve parcial vai ter lugar entre as 8h e as 10h dos dias 2, 3, 6, 7 e 9 de Dezembro de 2021. Nestas duas horas, os trabalhadores vão concentrar-se em diferentes espaços da cidade para distribuir documentos com as suas reivindicações, tanto à população de Faro como aos seus órgãos autárquicos. 

Tópico