|horário de trabalho

Um quarto dos trabalhadores do sector têm contratos precários

Ninguém faz mais horas do que os operários da indústria automóvel

Os operários qualificados da indústria automóvel são os que trabalham mais horas, em Portugal, de acordo com dados do Ministério do Trabalho: fazem mais uma hora e meia por semana do que a média.

CréditosMário Cruz / Agência LUSA

Os trabalhadores da indústria automóvel nacional cumprem, em média, 40,8 horas semanais e os operários qualificados chegam às 41,3 horas, contado o horário normal e o trabalho extraordinário. Os dados constam dos quadros de pessoal de 2016, publicados este mês pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho e da Segurança Social.

Este é o sub-sector em que se trabalham mais horas por semana e os mais de 14 mil operários qualificados são os que mais sentiam esta realidade. Dos cerca de 35 mil trabalhadores do sector, quase 25% tinham um contrato a termo e mais de 35% estavam há menos de cinco anos na empresa onde trabalhavam.

A desregulação dos horários de trabalho tem sido uma realidade em muitas empresas do sector, como na Autoeuropa, em Palmela, e da fábrica da Mitsubishi Fuso, no Tramagal (Abrantes).

No final de 2017, o maior sindicato alemão, o IG Metall (metalurgia, que inclui a produção automóvel), propôs a possibilidade de os trabalhadores com crianças ou dependentes a cargo reduzirem o seu horário semanal de 35 para 28 horas e um aumento salarial de 6%.

Tópico