|transportes

Greve nas rodoviárias da Barraqueiro suspensa

Perante a ameaça da greve desta sexta-feira, a administração da Barraqueiro apresentou novas propostas salariais em várias empresas, o que levou os trabalhadores a suspender o protesto.

Autocarro da Mafrense, uma das empresas do grupo Barraqueiro
Autocarro da Mafrense, uma das empresas do grupo BarraqueiroCréditosKotomi / CC BY-NC 2.0

A decisão é anunciada pela Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), na sequência da apresentação de aumentos salariais em algumas empresas do grupo e após terem sido consultados os trabalhadores.

A paralisação de amanhã abrangia as empresas rodoviárias Barraqueiro Transportes (Boa Viagem, Mafrense, Estremadura, Barraqueiro Oeste, Barraqueiro Alugueres) Ribatejana Verde, Rodoviária do Alentejo, Cytirama, JJ Santo António e Isidoro Duarte.

Segundo a Fectrans, em virtude do anúncio da administração, os trabalhadores decidiram aguardar pelas «reuniões promovidas pela administração para a semana que vem, onde, se seguir o que tem sido feito noutros lados, apresentará uma proposta aos trabalhadores».

A estrutura sindical afirma ainda já ter manifestado junto do grupo que os valores apresentados são «uma boa base de trabalho para solucionar o actual conflito laboral». Porém, entende que, para tal, o grupo tem de vencer o «medo de negociar com os representantes dos trabalhadores e optar pela via da negociação como forma privilegiada de resolver os problemas».

A 19 de Outubro, os trabalhadores de um conjunto de dez rodoviárias do grupo Barraqueiro estiveram em greve, tendo a adesão à greve variado entre os 60% e os 95%, entre as variadas empresas. A mais alta registou-se na rodoviária Boa Viagem.

Os trabalhadores da Barraqueiro reivindicam aumentos salariais e, sobretudo, exigem a correcção das diferenças salariais entre as empresas do mesmo grupo, que se reflectem em profissionais com as mesmas funções a receber salários e subsídios muito diferentes.

Tópico