|salários em atraso

Ex-trabalhadores da Shap2sea receberam indemnizações

Os antigos trabalhadores da Shap2sea, que operava em Vendas Novas e entrou em insolvência em 2018, recuperaram os mais de dez mil euros referentes aos salários e subsídios de férias em falta.

A empresa não pagou ainda os subsídios de férias aos trabalhadores
A Shap2sea dedicava-se ao fábrico de pranchas de surfCréditos / Passy's World of Mathematics

O fim do processo com um desfecho favorável aos ex-funcionários é confirmado pelo Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (Site Sul/CGTP-IN).

Em comunicado, o Site Sul afirma que os trabalhadores organizados nos sindicatos da CGTP-IN receberam em finais de Março passado os salários e subsídios em falta, num valor total que «ultrapassa os 10 mil euros».

A estrutura sindical sublinha ainda que, «mais uma vez, a unidade dos trabalhadores e a organização no seu sindicato permitiram a recuperação de salários e outros créditos em falta».

O caso remontava a Agosto de 2017, altura em que o sindicato denunciou que não estavam a ser efectuados o pagamento dos salários nos prazos definidos por lei, os quais eram feitos «em dias incertos, sem qualquer critério ou preocupação com os encargos dos trabalhadores».

Sendo «uma situação que permanecia há muito, tendo-se agravado com a falta de pagamento do subsídio de férias», os trabalhadores organizados no Site Sul optaram por rescindir os contratos por falta de pagamento de salários. A Shap2sea acabaria por entrar em insolvência em 2018.

Tópico