|CTT

Distribuição do correio posta em causa em Évora

Foram decretadas greves pelos trabalhadores do Centro de Distribuição Postal que abarca Évora, Arraiolos e Viana do Alentejo, que exigem a retirada do novo Estudo de Revisão de Giros, que põe em causa o serviço de distribuição do correio nestas localidades e piora as condições dos carteiros.

Os CTT foram totalmente privatizados em 2014, pelo governo do PSD e do CDS-PP
Os CTT foram totalmente privatizados em 2014, pelo governo do PSD e do CDS-PPCréditosManuel Almeida / Agência LUSA

Depois de dois plenários de trabalhadores, foi convocada greve geral para os dias 19 e 20 de Outubro no Centro de Distribuição Postal (CDP) de Évora/Arraiolos/Viana do Alentejo se, de 23 de Outubro a 6 de Novembro, greve ao primeiro período de trabalho de cada trabalhador, informa o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN).

Numa nota enviada às redacções, o sindicato explica que «o conflito resulta da reestruturação programada pelos CTT no novo Estudo de Revisão de Giros [rondas de distribuição] que altera 90% da actual estrutura, eliminando 3,5 postos de trabalho naquele CDP».

O sindicato informa que, da anunciada reestruturação, caso seja implementada, resultaria ainda «o aumento do agenciamento de giros (gente estranha aos CTT a executarem distribuição de correio substituindo carteiros)», assim como retardaria a entrada dos trabalhadores, «prejudicando a separação geral do correio e, logo, as horas em que o mesmo chegará a casa das pessoas».

A nota refere que «os trabalhadores vêem-se ainda confrontados com a criação de horários de trabalho com intervalos de descanso de 3 e 4 horas», o que obriga «os que vivem longe de Évora a estarem “presos” ao seu local de trabalho até 14 horas».

O sindicato denuncia ainda que, «com a deslocação definitiva dos carteiros de Arraiolos para Évora», estes verão acrescidos «em mais 20 horas o horário semanal em que têm que estar à disposição da empresa (saírem de Arraiolos de madrugada para entrarem em Évora às 6h30, pegarem o serviço para distribuírem em Arraiolos e irem distribuí-lo, regressarem a Évora para saírem às 18h30 e regressarem a casa muito depois das 19h00)».

É ainda denunciada a possibilidade de encerramento das Estações de Correios de Arraiolos e Viana do Alentejo, «transformando-as em Postos de Correio e deslocando os trabalhadores do atendimento que ali se encontram para outras paragens».

Amanhã realiza-se um novo plenário de trabalhadores no CDP de Évora, desta vez marcado pela Comissão de Trabalhadores dos CTT, informa a estrutura sindical.

Luta contra a degradação do serviço postal

Estão em desenvolvimento, em vários pontos do País, lutas dos trabalhadores dos CTT contra a degradação do serviço postal, segundo nota da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans/CGTP-IN), «originada pela redução de trabalhadores, que tem como consequência principal sobrecarga de trabalho e atrasos da entrega de correspondência».

Assim, para além das greves convocadas em Arraiolos, Viana do Alentejo e Évora, está convocada greve em Sacavém, no segundo período de trabalho entre os dias 30 de Outubro e 10 de Novembro, e em Cacém e Rio de Mouro «foi dado um prazo até 13 de Outubro para obterem resposta às reivindicações apresentadas», seguindo-se um plenário para decidir acções a desenvolver.

Tópico