|hotelaria

Corte de rendimentos ilegal leva a queixa à ACT

Violando o contrato colectivo de trabalho em vigor, o grupo hoteleiro Dom Pedro Hotels & Golf Collection decidiu reduzir «drasticamente» o subsídio de alimentação e ainda não pagou o subsidio de férias.

 Sindicato considera que «a elevação salarial no sector do turismo é uma emergência nacional».
Sindicato considera que «a elevação salarial no sector do turismo é uma emergência nacional». Créditos

Os trabalhadores deste grupo hoteleiro de Vilamoura, concelho de Loulé, continuam sem receber o subsídio de férias que lhes é devido, situação que levou o Sindicato da Hotelaria do Algarve (CGTP-IN) a apresentar queixa à Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

Além disso, violando o contrato colectivo de trabalho em vigor, o grupo hoteleiro decidiu reduzir «drasticamente» o subsídio de alimentação sem que em contrapartida forneça «alimentação condigna aos trabalhadores», denuncia o sindicato em nota.

Tendo entrado em situação de lay-off simplificado no início do período de confinamento provocado pela Covid-19, os trabalhadores do grupo viram as suas remunerações diminuídas, existindo já trabalhadores «em situação financeira muito delicada», refere o comunicado.

Segundo a organização sindical, a epidemia não pode «servir de desculpa para todo o tipo de abusos e perda de direitos» pelo que espera que a ACT «intervenha rapidamente».

Tópico