|negociações

Continuam as negociações na EMEL

As previsões para o ano de 2022, inscritas no Plano de Actividades e Orçamento da EMEL, contrariam, «em toda a linha», o discurso de dificuldades que sustenta a posição da administração.

Créditos / ECO

O processo negocial continua, e com cada vez mais cedências da parte da administração da EMEL, responsável pela gestão, exploração e manutenção de locais de estacionamento público na cidade Lisboa, às reivindicações dos trabalhadores.

Aquilo que era impossível em Janeiro, tornou-se realidade em Fevereiro (a EMEL aceitou retirar os objectivos quantitativos em 2022), e aquilo que era duvidoso em Fevereiro, passou a ser discutível. Embora a proposta seja ainda incipiente, abre novos caminhos para a próxima reunião, já marcada para 28 de Março.

«Depois de largos anos de congelamento e do processo injusto e discriminatório do ano passado, não é aceitável o posicionamento da empresa» em relação aos salários, denuncia o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP/CGTP-IN), ainda para mais tendo em conta as boas previsões para este ano, 2022.

Ainda sem resposta ficou a exigência de 25 dias de férias, a folga no dia de aniversário, o aumento de subsídio de transporte de valores e a atribuição do passe navegante aos trabalhadores.

Os trabalhadores da EMEL «precisam de melhores salários para viver com dignidade e num momento em que o aumento do custo de vida estrangula o dia a dia de tantos, torna-se ainda mais evidente esta emergência nacional que é o aumento geral dos salários».

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui