|direitos sindicais

Administração da Ecalma prossegue ingerência na actividade sindical

Os trabalhadores, organizados pelo STAL, decidiram convocar uma greve para o dia 18 de Outubro em defesa da liberdade sindical e pela exigência do cumprimento dos direitos do acordo de empresa.

O Flexibus, um dos vários serviços da Ecalma, que assegura o transporte em várias partes de Almada
O Flexibus, um dos vários serviços da Ecalma, que assegura o transporte em várias partes de AlmadaCréditos / Jornal da Região

A denúncia é feita pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional (STAL/CGTP-IN), em nota de imprensa. Em causa está o facto de no passado dia 30 de Setembro, por orientação dada pela administração da Ecalma/Webmob, um conjunto de directores tentaram, pela segunda vez, «entrar à força num plenário realizado pelo STAL)», que juntava trabalhadores sindicalizados e não sindicalizados. O objectivo, segundo os representantes dos trabalhadores, era o de «condicionar a discussão e “intimidar” os trabalhadores da Ecalma».

Não conformados com a legítima defesa dos trabalhadores ao seu direito a reunir, o STAL denuncia que os administradores «passaram à fase provocatória de tirar fotos e filmar quem os impediu de entrar, chamando inclusive a polícia para recorrer à mentira, queixando-se de serem agredidos».

A conclusão do plenário foi a de que, perante tais factos, realizar-se-á uma greve de 24 horas no próximo dia 18 de Outubro para lutar contra a repressão e ingerência sindical, mas também para exigir a abertura de processo negocial com vista à celebração de acordo escrito para a negociação de carreiras, melhores condições de trabalho, o cumprimento dos direitos constantes do acordo de empresa e aumentos salariais para 2020.

Tópico