|eleições regionais

Madeira: PSD deve formar governo, mas sem maioria absoluta

A representação plural sofreu com uma campanha marcada pela tónica artificial do bipartidarismo, com a promoção de que seria o voto do PS a única possibilidade para afastar o PSD de um quadro maioritário absoluto.

O primeiro-ministro, António Costa acompanhado por Miguel Albuquerque e Paulo Cafôfo, cabeças-de-lista pelo PSD e e PS, nas eleições regionais de 22 de Setembro de 2019
Miguel Albuquerque e Paulo Cafôfo, cabeças-de-lista por PSD e PS, respectivamente, nas eleições regionais de 22 de Setembro de 2019 CréditosHomem de Gouveia / Agência Lusa

Terá vingado para estes resultados a velha máxima do «voto útil» no PS, para afastar o PSD da governação regional.

Registe-se, não obstante, que o PSD manteve um número de votos semelhante ao que foi registado há quatro anos. A grande alteração centrou-se num aumento de mais de 36 mil e quinhentos votos por parte do PS face ao resultado de 2015, no qual tinha concorrido em coligação com PTP, PAN e MPT, e que permitiu àquele partido subir de cinco eleitos para 19 deputados.

Todos os partidos (à excepção do PS), até então com representação regional, perderam deputados. O CDS-PP passa de sete para três eleitos; o JPP (Juntos pelo Povo) desce de cinco para três representantes; a CDU perde um mandato, ficando apenas com um deputado; e o BE perde representação parlamentar, ficando assim arredado pela primeira vez em muitos anos de voz na assembleia legislativa madeirense.

O CDS-PP já demonstrou estar disponível para viabilizar um governo maioritário com o PSD, cenário que se afigura como provável e a confirmar nos próximos dias.

Paulo Cafôfo, não obstante, quer desafiar todas as forças eleitas, que não o PSD, para a formação de um governo regional, confirmando assim ter um projecto mais centrado no objectivo de ser poder, do que com base em princípios e valores de orientação política determinada.

Recorde-se que nas últimas eleições regionais, realizadas a 29 de Março de 2015, tinha sido registada uma abstenção de 50,42%, a mais alta de sempre e o PSD havia conseguido segurar, por um deputado, a maioria absoluta, com a eleição de 24 dos 47 parlamentares.

Foram mais de 257 mil os eleitores que tiveram hoje a possibilidade de votar nas eleições para a Assembleia Legislativa Regional da Madeira. A jogo foram 17 candidaturas para a escolha, pelos madeirenses, dos 47 lugares no parlamento regional.

Tópico