|serviços públicos

A Caixa já dá lucros, mas está cada vez mais longe dos portugueses

Os lucros de 369 milhões de euros da Caixa Geral de Depósitos, até Setembro, trazem um prejuízo escondido para o País: neste ano, vão sair 571 trabalhadores e fechar 76 balcões do banco público.

Os créditos concedidos a actividades especulativas durante anos são, agora, um dos maiores entraves ao desenvolvimento do banco público
Desde 2008 foram encerrados mais de 300 balcões da Caixa Geral de Depósitos em todo o PaísCréditosMário Cruz / Agência Lusa

A administração liderada por Paulo Macedo anunciou ontem os resultados do terceiro trimestre de 2018, que mostram um lucro de 369 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano. O resultado no mesmo período do ano passado foi um prejuízo de 47 milhões de euros.

Mas a passagem de prejuízos para lucros não foi feita de forma limpa. Até Setembro, o banco público tinha empurrado para a saída 509 trabalhadores, prevendo aumentar o número em mais 62 até ao final do ano. A isto, soma-se o encerramento de 65 agências por todo o País até ao momento e Paulo Macedo revelou que a intenção é fechar mais 11 até Dezembro.

Desde que a actual administração entrou em funções, no final de 2016, fecharam 195 agências da CGD com atendimento presencial e saíram 301 trabalhadores, só em Portugal. Na última década, os números ascendem a menos 310 agências e 1915 trabalhadores.

Na apresentação dos resultados de ontem, o ex-ministro da Saúde do anterior Governo, Paulo Macedo, afirmou que a administração do banco público já prevê pagar dividendos no próximo ano, admitindo que possam rondar os 200 milhões de euros.

Tópico