|Caixa Geral de Depósitos

Banco de Portugal avalizou créditos lesivos da Caixa

Vítor Constâncio fez afirmações em sede de Comissão Parlamentar de Inquérito à CGD que foram contraditadas por documentos disponibilizados a diversos órgãos de comunicação social.

Audição de Vítor Constâncio na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos. Lisboa, 28 de Março de 2019.
Audição de Vítor Constâncio na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos. Lisboa, 28 de Março de 2019.CréditosMANUEL DE ALMEIDA / Agência LUSA

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP) ficou hoje em cheque depois de ter sido noticiado que terá omitido informações relativas a operações de créditos concedidas para a compra de acções de outros bancos que acabaram por gerar perdas na Caixa Geral de Depósitos (CGD), mas não só.

O BdP tinha conhecimento das operações de crédito para compra de participações financeiras de outros bancos, confirmando-se limitações nesta matéria ao nível da supervisão perante situações que vieram a ser lesivas para a CGD e para o Estado português, as quais não foram travadas no momento adequado.

Segundo tais documentos, Vítor Constâncio proferiu, em resposta ao PCP na Comissão Parlamentar de Inquérito, afirmações que não correspondem à verdade. Um dos exemplos avançados é o do crédito de 350 milhões de euros concedido em 2007 a José Berardo pela CGD para investir no BCP, o qual tinha inicialmente garantias reais.

Perante estas notícias, diversos partidos (PCP, BE, PSD e PS) apresentaram requerimentos para ouvir o ex-governador. O PCP foi o primeiro partido a apresentar requerimento neste sentido, solicitando ainda que venham a ser disponibilizadas ao Parlamento «actas do Conselho de Administração do BdP das reuniões em que foram discutidas operações de crédito – independentemente da instituição financeira que a concedeu – que tiveram como objectivo a aquisição de capital/participações sociais de instituições financeiras (de 2000 a 2015)».

A situação parece revelar que, mais uma vez, o BdP esteve envolvido em operações que vieram a lesar quer o sistema financeiro, quer todos os portugueses.

Tópico