|reposição de freguesias

Em Évora o PS opõe-se à reposição de freguesia juntamente com a direita

Na hora de reverter a Lei Relvas que impôs a união de freguesias, o PS opôs-se à reversão da união das freguesias de Malgueira e Horta das Figueiras e das freguesias de Bacelo e Senhora da Saúde.

CréditosNuno Veiga / Agência Lusa

Desde 2013 que se têm multiplicado as lutas das populações para reverter a união das freguesias. Uma lei feita contra as suas vontades, desrespeitando as identidades culturais e erguida com o objetivos nefastos para as necessidades de quem nessas freguesias habita. 

No final de 2021 foi aberto o processo para pedidos de desagregação de freguesias, algo que poderia materializar a luta das populações e sabe-se que até à terceira semana de Dezembro de 2022, mais de 100 freguesias tinham já indicado a vontade de reverterem a sua união. É certo que o processo pode ser longo, e segundo o jornal Público, não há consenso relativamente ao prazo limite para as uniões de freguesia requererem a sua separação.

Apesar disso, o processo encontra-se em andamento e no passado dia 19 de Janeiro foi a votação na Assembleias de Freguesia as reposição de freguesias das uniões de Malgueira e Horta das Figueiras, assim como de Bacelo e Senhora da Saúde. O PS, que se encontra em condições para votar favoravelmente às separações, optou por votar contra a reposição das quatro freguesias, indo contra os interesses das populações. Desta forma, juntou-se a PSD e Chega (que só compareceu numa das Assembleias) e deu primazia ao seu calculismo político. As propostas tinham sido apresentadas pela CDU e pelo MCE.

De acordo com nota de imprensa enviada pela CDU, o PS optou por seguir o mote «faz o que eu digo, não faças o que eu faço» e que meteu os « interesses políticos à frente dos interesses das populações destas quatro Freguesias, das suas associações e dos demais agentes locais, que perdem, nesta fase, uma real oportunidade de criar melhores condições para o trabalho em cada uma das freguesias».
 

Tópico