|Vietname

PIB vietnamita aumenta, apesar da forte queda no turismo

O turismo quase parou no Vietname no período Julho-Setembro. No entanto, o produto interno bruto (PIB) do país cresceu 2,62%, em termos homólogos, sobretudo graças às exportações da indústria.

Cidade de Ho Chi Minh (imagem de arquivo)
Cidade de Ho Chi Minh (imagem de arquivo) Créditos / AbrilAbril

De acordo com a informação divulgada esta semana pelo Gabinete Geral de Estatística, o país do Sudeste Asiático mantém a tendência de crescimento, melhorando inclusive os dados relativos ao segundo trimestre, em que o PIB registou um aumento de 0,36%, noticia a agência EFE.

O crescimento neste último trimestre fica-se a dever, segundo o Gabinete de Estatística, ao aumento das exportações de peças electrónicas, aço e outros produtos industriais, ao aumento das exportações para a China e os EUA, bem como ao investimento público, que é o mais alto nos últimos cinco anos, e se concentrou sobretudo nas infra-estruturas.

Turismo externo cai para níveis históricos

O sector mais atingido pela crise económica associada à pandemia de Covid-19 foi o dos serviços, em particular o do turismo. De acordo com o Gabinete Geral de Estatísticas, o número de visitantes estrangeiros ao Vietname entre Julho e Setembro situou-se nos 44 mil, cerca de 1% dos que visitaram o país em igual período no ano anterior.

O organismo esclareceu que, em rigor, nem sequer se deveria falar de turismo, uma vez que, na grande maioria dos casos, o número apontado se refere a especialistas e técnicos que trabalham em vários projectos no país, essenciais à economia nacional.

De acordo com a Agência de Notícias do Vietname, por comparação com igual período de 2019, neste trimestre registou-se uma diminuição de 73% nas entradas de visitantes provenientes da Ásia: China (76%), Coreia do Sul e Malásia (73%), Japão e Taiwan (China) (71%).

No que respeita à Europa, a redução foi de 58%. Os viajantes do Reino Unido diminuíram 65,5%, os de França 65% e os da Rússia 48%.

O Vietname encerrou as suas fronteiras a 22 de Março último, com o objectivo de travar a propagação do novo coronavírus. No final de Setembro de 2019, o país tinha recebido 12,9 milhões de turistas estrangeiros e a Organização Mundial do Turismo tinha-o incluído entre os dez com mais rápido desenvolvimento no sector, refere a Prensa Latina.

O país do Sudeste Asiático, que fechou o ano transacto com um número recorde de visitantes estrangeiros – 18 milhões – e que este ano aspirava chegar aos 20 milhões, tem no turismo uma das suas apostas, mas que está longe de exclusiva.

Tópico