|Venezuela

O programa Gran Misión Vivienda Venezuela alcança novos «marcos»

Nicolás Maduro entregou, esta quinta-feira, a casa número 4 100 000 construída no âmbito do programa social conhecido como Gran Misión Vivienda Venezuela, criado por Chávez em 2011.

O presidente venezuelano em Ciudad Tuna, Caracas, a 23 de Junho de 2022 
O presidente venezuelano em Ciudad Tuna, Caracas, a 23 de Junho de 2022 Créditos / @NicolasMaduro

As chaves da casa foram entregues pelo presidente venezuelano no complexo urbanístico Ezequiel Zamora, em Ciudad Tiuna (Caracas). O facto de a Grande Missão Habitação Venezuela ter chegado às 4 100 000 casas foi apontado pelo governante como um «marco».

Na ocasião, Maduro destacou a necessidade de apreciar o «esforço do trabalho nos bons e nos maus tempos», acrescentando que cada casa própria entregue às famílias cumpre a Constituição da República Bolivariana e dá segurança às crianças das novas gerações de venezuelanos.

«Com o bloco da consciência, o cimento do amor e a barra de aço da alma revolucionária, vamos construir Conselhos Comunais, Comunas, comunidades e manter belos os espaços públicos», frisou o chefe de Estado, citado pela TeleSur.

Referiu-se ainda ao facto de que os beneficiados com o programa, agora com novas casas em variadas comunidades por todo o território venezuelano, devem ser protagonistas de uma nova forma de vida em comunidade.

Em seu entender, a Gran Misión Vivienda Venezuela deve tornar-se expressão do socialismo, sendo vanguarda na construção de comunidades nas quais os venezuelanos exprimam a democracia participativa.

Na cerimónia de entrega participaram Cilia Flores, «primeira combatente» do chavismo e esposa de Nicolás Maduro, parte do executivo, bem como os cidadãos a quem foram atribuídas as casas número um, dois, três e quatro milhões.

Garantir o direito à habitação

O programa Grande Missão Habitação Venezuela nasceu em Maio de 2011 por iniciativa do então presidente da República, Hugo Chávez, com o objectivo de enfrentar a abordagem especulativa e capitalista do sector privado ao direito à habitação, e, dessa forma, garantir a pessoas de baixos recursos uma casa digna e o acesso a serviços básicos.

No dia 26 de Dezembro de 2019, o programa alcançou a meta dos três milhões de casas entregues e, no passado dia 7 de Abril, chegou aos quatro milhões, um marco histórico e de grande relevância no contexto das dificuldades impostas ao país caribenho, nomeadamente o cerco económico e financeiro de EUA e aliados.

Na sua conta de Twitter, a acompanhar um vídeo sobre a história da Gran Misión Vivienda Venezuela, Nicolás Maduro reafirma que a meta é chegar aos cinco milhões e, depois, seguir em frente.

Tópico