|Burkina Faso

Mais de 370 crianças «salvas do tráfico de pessoas» no Burkina Faso

O número, divulgado pelo Ministério da Acção Humanitária, refere-se ao primeiro trimestre do ano. As crianças estavam a ser levadas para países vizinhos para serem exploradas nos campos ou em minas.

Créditos / Prensa Latina

O Ministério da Mulher, Solidariedade Nacional, Família e Acção Humanitária (MAH) do Burkina Faso anunciou esta segunda-feira, em conferência de imprensa, o resgate de 374 menores, entre Janeiro e Março deste ano, que foram «interceptados e salvos do tráfico» de pessoas.

De acordo com as autoridades, as crianças estavam a ser levadas para países vizinhos, onde seriam exploradas como escravos modernos na agricultura ou em explorações mineiras.

«Durante o primeiro trimestre de 2021, 374 crianças foram interceptadas sob suspeita de que poderiam ser vítimas de tráfico», declarou a ministra Hélène Marie Laurence Ilboudo em Ouagadougou, capital do país africano.

«Há algum tempo, os fenómenos que afectam as crianças tomaram proporções preocupantes no nosso país», alertou, indicando que em 2020 foram interceptadas 2318 crianças, informa o portal do Estado de Minas.

As crianças, na maioria menores de 16 anos, iam ser transportadas para países limítrofes por traficantes e o seu destino seria trabalhar em plantações ou em minas; algumas, «mais afortunadas», são adquiridas para trabalhos domésticos, segundo revela a fonte.

A responsável do Ministério da Acção Humanitária referiu que os menores, carentes de amparo familiar, foram detectados em autocarros nos postos fronteiriços ou pela população, que denunciou os casos.

Um dos destinos do tráfico de crianças é a Costa do Marfim, o maior produtor de cacau do mundo, país que também interceptou e repatriou menores explorados nos seus campos, acrescentou o ministério.

Do total de crianças resgatadas, 58 foram detectadas em operações de controlo do território por parte das Forças de Defesa e Segurança, tendo sido entregues aos serviços sociais, acrescentou Ilboudo, que destacou também a magnitude do fenómeno das «crianças de rua».

Outros destinos comuns dos menores traficados são as plantações no Mali, a noroeste, e no Gana, a sul, outro grande produtor de cacau a nível mundial.

São frequentes as denúncias, por parte instituições e organizações não governamentais, do recurso a trabalho infantil e a mão-de-obra escrava nas plantações de cacau.

Tópico