|Colômbia

Mais de 17 milhões de colombianos vivem em situação de pobreza

O ano passado, mais 661 889 colombianos caíram em situação de pobreza, elevando para 17,4 milhões o número de pessoas nessa condição, revelou o Departamento Administrativo Nacional de Estatística.

De acordo com os dados do DANE, 17,4 milhões de colombianos vivem em situação de pobreza e 4,6 milhões em pobreza extrema
De acordo com os dados do DANE, 17,4 milhões de colombianos vivem em situação de pobreza e 4,6 milhões em pobreza extrema Créditos / dinero.com

Em 2019, o número de pessoas em situação de pobreza na Colômbia aumentou em cerca de 662 mil, passando das 16,8 milhões registadas em 2018 para 17,4 milhões.

De acordo com os dados divulgados por Juan Daniel Oviedo, director do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE) do país sul-americano, isto significa que, em 2019, 35,7% dos colombianos eram pobres, o que representa o aumento de um ponto percentual face a 2018.

Nas zonas rurais, a percentagem observada de pessoas pobres é mais elevada (47,5%; aumento de 1,5% face a 2018), facto a que não é alheia a falta de apoio do Estado, tendo em conta os graves problemas económicos e sociais que o país andino enfrenta.

As cidades que apresentam índices mais elevados de pobreza são Quibdó (60,9%) e Riohacha (49,3%), nos departamentos de Chocó e La Guajira, respectivamente.

No que se refere à pobreza extrema, o DANE indicou que mais 729 mil pessoas entraram nessa condição, por comparação com 2018. Segundo o organismo estatal, existem 4,6 milhões de colombianos que vivem em situação de pobreza extrema, o que corresponde a 9,6% da população (aumento de 1,4% face a 2018).

Foi também nas cidades de Quibdó (23,8%) e Riohacha (19,5%) que o organismo registou os índices mais elevados de pobreza extrema. De acordo com os critérios do DANE, uma família colombiana está em situação de pobreza extrema se os seus membros têm rendimentos mensais inferiores a 137 350 pesos (cerca de 30,50 euros); e está em situação de pobreza se o rendimento mensal dos seus membros é inferior a 327 674 pesos (cerca de 72,8 euros).

Ao apresentar os dados, Oviedo ligou o aumento da pobreza e da pobreza extrema ao aumento do desemprego na Colômbia, tendo destacado a situação que se vive nas zonas rurais do país, refere a HispanTV.

Referiu ainda que os efeitos da pandemia do novo coronavírus serão «fundamentais» para abordar os índices de pobreza no ano em curso.

Tópico