|Síria

Mais de 100 mil alunos estudam em 268 escolas recuperadas em Deir ez-Zor

O sector da Educação dá mostras de «notáveis melhorias» na província síria de Deir ez-Zor, onde o governo tem apostado na reabilitação de uma rede escolar bastante atingida pelos grupos terroristas.

Após a libertação de Ghouta Oriental, em Abril de 2018, milhares de crianças regressaram às aulas; o ano lectivo, como noutras zonas atingidas pelo terrorismo, foi ali prolongado
Após a libertação de Ghouta Oriental, em Abril de 2018, milhares de crianças regressaram às aulas; o ano lectivo, como noutras zonas atingidas pelo terrorismo, foi ali prolongadoCréditosCarla Ortiz / Twitter

Os avanços registados nesta província do Nordeste da Síria resultam, em grande medida, dos esforços feitos pelo governo de Damasco, que tem apostado na reabilitação das infra-estruturas parcialmente destruídas pelos terroristas e na reconstrução das que foram por eles arrasadas.

Neste momento, há 100 500 alunos a estudar em 268 escolas na província, que foram equipadas com o material necessário e dotadas com o pessoal docente e não docente exigido ao processo educativo, segundo refere a agência SANA.

Esta segunda-feira, o ministro da Educação, Imad al-Azib, visitou vários estabelecimentos de ensino, nomeadamente as escolas secundárias de al-Mutafawiqin, al-Furat (tida como a mais antiga da província de Deir ez-Zor) e Sati' al-Husary, e teve oportunidade de verificar no local o avanço na reabilitação de outras escolas.

O responsável governamental, que visitou ainda uma fábrica de mobiliário escolar na região – só em 2018 produziu cerca de 10 mil peças –, disse à SANA que a Educação e o reestabelecimento do processo educativo nas zonas libertadas é uma das prioridades do governo. Algo que, reconheceu, tem vindo a ser concretizado nesta província do Leste da Síria desde a vitória sobre o terrorismo, no final de 2017, num trabalho conjunto que envolve a população e as autoridades locais.

Por seu lado, o director da Educação em Deir ez-Zor frisou que «as coisas estão a correr bem» no seu sector, tendo acrescentado que o número de estudantes aumenta continuamente, «tendo em conta que os habitantes estão a regressar às suas cidades e aldeias, que foram libertadas do terrorismo».

De acordo com dados oficiais, mais de meio milhão de deslocados internos regressaram às suas casas na província, onde vivem actualmente 1 150 000 pessoas.

Mais deslocados voltam para as suas casas

Mais de 300 civis, obrigados a sair de suas casas como consequência da acção das forças terroristas no país levantino, regressaram no domingo a localidades libertadas no Sudeste da província de Deir ez-Zor. De acordo com a Prensa Latina, o regresso foi feito por al-Salihiya, uma passagem que as autoridades criaram sobre o rio Eufrates.

Entre os regressados este domingo contam-se 60 militares que beneficiaram do decreto de amnistia do governo e se reintegraram nas fileiras no Exército Árabe Sírio.

Novo grupo de refugiados regressa da Jordânia

Já hoje, um grupo de refugiados que estavam a viver em acampamentos na Jordânia passaram pelo posto fronteiriço de Nassib, com destino às suas terras, na província síria de Daraa, no Sul do país.

O governo da província colocou meios de transporte gratuitos à disposição dos refugiados para que estes pudessem regressar às suas terras.

Em declarações recentes à SANA, o coronel Mazen Ghandour, chefe do Centro de Emigração e Passaportes no posto fronteiriço de Nassib, afirmou que, desde a abertura desta passagem na fronteira entre a Síria e a Jordânia, a 16 de Outubro, mais de 10 mil refugiados regressaram ao país por ali.

Tópico