|Síria

Avança a implementação do acordo no Sul da Síria

O Exército sírio tem estado a entrar, nas últimas duas semanas, em várias localidades próximas da fronteira com a Jordânia, após um acordo visando acabar com bolsas de terrorismo na província de Daraa.

A implementação do acordo no Sul da Síria, no que respeita à entrega das armas e à regulamentação do estatuto jurídico de militantes, pessoas procuradas pela Justiça e desertores, avançou esta quinta-feira em Dael, 15 km a norte da cidade de Daraa, na província homónima 
A implementação do acordo no Sul da Síria, no que respeita à entrega das armas e à regulamentação do estatuto jurídico de militantes, pessoas procuradas pela Justiça e desertores, avançou esta quinta-feira em Dael, 15 km a norte da cidade de Daraa, na província homónima Créditos / SANA

Unidades do Exército Árabe Sírio entraram, esta quinta-feira, nas localidades de Tal Shihab e Zaizoun, praticamente coladas à Jordânia e poucos quilómetros a noroeste da cidade de Daraa, no distrito e na província homónimos. O objectivo é trazer segurança à região, permitindo o regresso das populações a suas casas.

Na sequência de um acordo proposto pelo governo de Damasco, sob mediação russa, outras aldeias e bairros da província têm assistido a situações semelhantes nos últimos dias, informa a SANA.

O processo teve início no Bairro de Daraa al-Balad, na capital da província, e teve continuidade nas localidades de al-Yadudah e Muzayrib, seguindo-se Tafas, Tel Shihab e Zaizoun.

Em Dael, 15 quilómetros a norte de Daraa, na estrada que segue para Damasco, a implementação do acordo referente à «normalização do estatuto jurídico» de dezenas de militantes, pessoas procuradas pela Justiça e desertores teve início esta quinta-feira. As armas que estavam em seu poder, refere a SANA, foram entregues ao Exército.

Neste processo intervêm sempre equipas de sapadores, que passam os terrenos a pente fino para desactivar minas e permitem que outras equipas removam escombros e reabram ruas. Depois, engenheiros e outros trabalhadores avaliam danos e dão início ao processo de recuperação de infra-estruturas, como escolas, centros de saúde, a rede viária e de electricidade, além de outros espaços públicos.

O controlo total sobre a província de Daraa e o fim das bolsas de terroristas afiguram-se como elementos estratégicos primordiais para o governo sírio, uma vez que a província faz fronteira com a Jordânia e com os Montes Golã ocupados por Israel.

Acabar com a presença militar dos EUA na Síria

Os Estados Unidos, que impõem sanções severas à Síria, mantêm ilegalmente cerca de 900 militares no país árabe, para o «dividir de facto», denunciou Moscovo recentemente, colaborando com militantes contra o governo legítimo do país e roubando os seus recursos naturais.

Esta quinta-feira, a PressTV revela que o congressista norte-americano Jamaal Bowman apresentou uma emenda à lei de despesa anual na defesa, que impediria que os fundos fossem destinados à presença militar de Washington na Síria.

A emenda, que foi apoiada pelos congressitas Rashida Tlaib, Jan Schakowsky, Ro Khanna, Peter DeFazio, Ritchie Torres e Steve Cohen, visa proibir os fundos da National Defense Authorization Act (lei de autorização de defesa nacional) de serem utilizados para perpetuar a presença norte-americana no país sem a aprovação do Congresso.

«Demasiadas vidas sírias foram perdidas como consequência da política desastrosa dos EUA, mas o presidente Biden tem uma oportunidade incrível para mostrar liderança mais uma vez no palco internacional», disse Bowman num comunicado.

«Insto todos os meus colegas a juntar-se a mim no apoio a esta emenda e a acabar a intervenção militar dos EUA na Síria o mais rapidamente possível», frisou.

Tópico