|Síria

Elevada participação esperada na Feira Internacional de Damasco

Cerca de 400 empresários árabes e de outras partes do mundo foram convivados a participar no certame deste ano, que decorre entre 28 de Agosto e 6 de Setembro, tendo como lema «De Damasco para o Mundo».

A área já reservada na edição deste ano da Feira Internacional de Damasco é a mais elevada de sempre
A área já reservada na edição deste ano da Feira Internacional de Damasco é a mais elevada de sempre Créditos / scbc.sy

O Comité de Delegações e Relações Públicas do sector privado participante na Feira Internacional de Damasco anunciou ter enviado convites a cerca de 400 empresários árabes e de outras regiões do mundo para estarem presentes na 61.ª edição do certame, que arranca no dia 28 deste mês.

Em declarações à agência SANA, o presidente do comité, Wassim al-Qattan, precisou que participarão no evento uma delegação económica proveniente dos Emirados Árabes Unidos, com 40 empresários, e uma outra do Sultanato de Omã, com 35, além de uma delegação da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

Al-Qattan acrescentou que o Comité de Promoção Alimentar convidou delegações de outros estados, em que se incluem 200 representantes de países europeus que têm interesses no sector alimentar, e que 100 empresários e visitantes de países amigos foram convidados a participar na feira pelo Comité de Promoção do Sector Têxtil.

Neste momento, o organismo a que Wassim al-Qattan preside tem em mãos a preparação do alojamento e a organização da estadia dos visitantes durante o período da feira – algo que, explicou, tem estado a ser feito em coordenação com os ministérios sírios do Turismo e dos Transportes.

A 61.ª edição da Feira Internacional de Damasco decorre entre os dias 28 de Agosto e 6 de Setembro, tendo como lema «De Damasco para o Mundo». Até ao momento, 30 países confirmaram a participação no evento, e as áreas já reservadas no recinto da feira ultrapassam os 95 mil metros quadrados – o número mais alto desde o início do certame, em 1954.

A agência SANA sublinha que estes elementos evidenciam a recuperação económica e comercial da Síria, apesar de todos os obstáculos que enfrenta – desde o terrorismo às sanções impostas.

Tópico