|Índia

Comunistas indianos exigem ao governo medidas para combater a pandemia

Entre as várias exigências feitas pelo Partido Comunista da Índia (Marxista), conta-se o aumento das verbas destinadas ao reforço do sistema público de saúde.

O PCI(M) propôs várias medidas para defender a saúde e os direitos do povo e dos trabalhadores indianos, tendo em conta o surto do Covid-19
O PCI(M) propôs várias medidas para defender a saúde e os direitos do povo e dos trabalhadores indianos, tendo em conta o surto do Covid-19 CréditosCurly News

Numa nota emitida esta sexta-feira, o Partido Comunista da Índia (Marxista) – PCI(M) – fez um apelo ao povo indiano para que observe o recolher obrigatório do próximo domingo como um dia de solidariedade popular com a luta contra o novo coronavírus.

Ontem, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, pediu aos cidadãos que imponham a si mesmos um regime de recolher obrigatório no dia 22 de Março, como uma espécie de teste ao «isolamento social», visando travar a propagação da pandemia, revela o jornal The Hindu.

No entanto, acusam os comunistas, Modi não propôs «quaisquer passos concretos para lidar com os aspectos sanitários e económicos desta luta», e, nesse sentido, avançam com várias exigências ao executivo.

No texto, o PCI(M) reclama que as autoridades sanitárias aumentem os testes de detecção do vírus, de modo a abranger camadas mais amplas da população, especialmente pessoas com sintomas de gripe, febre, tosse, entre outros.

Exigem, além disso, que o governo decrete o aumento da verba destinada ao reforço do sistema público de saúde com testes adequados e gratuitos, instalações hospitalares, salas de isolamento e ventiladores, e que os hospitais privados proporcionem tratamento gratuito aos pacientes com coronavírus.

Mais apoios às famílias pobres e aos trabalhadores

Os comunistas reclamam, igualmente, a atribuição de rações grátis, durante um mês, a todas as famílias pobres, incluindo a mão-de-obra migrante; a expansão e o fortalecimento do sistema público de distribuição, de modo a cobrir todos os produtos essenciais; e a atribuição de kits de racionamento às casas de famílias com crianças (em vez da actual refeição do meio-dia nas escolas).

A constituição de pacotes financeiros para os sectores afectados pela pandemia – só para empresas que não recorram a lay-offs, despedimentos ou cessação de trabalhos nos próximos três meses – é outra das medidas avançadas pelo PCI(M) na nota hoje emitida, em que também propõe a criação de um fundo para aumentar a assistência financeira e as prestações a todos os trabalhadores precários cuja subsistência seja afectada, e defendem que os trabalhadores forçados a ausentar-se do trabalho devido ao coronavírus devem ter direito a baixa com vencimento.

Para além disso, propõem os comunistas, o governo deve decretar uma moratória de um ano sobre os empréstimos bancários contraídos pelas pequenas e médias empresas, e pelos comerciantes retalhistas.

Tópico