|China

China aprova nova vacina para uso de emergência

As autoridades chinesas aprovaram, na quarta-feira, uma nova vacina contra a Covid-19 para uso de emergência, depois dos bons níveis de segurança e eficácia patenteados nos testes clínicos.

Um trabalhador da Saúde prepara uma vacina num centro temporário de vacinação contra a Covid-19, numa empresa do distrito de Haidian, Pequim, a 22 de Fevereiro de 2021
Um trabalhador da Saúde prepara uma vacina num centro temporário de vacinação contra a Covid-19, numa empresa do distrito de Haidian, Pequim, a 22 de Fevereiro de 2021CréditosRen Chao / Xinhua

A vacina de subunidades baseada em proteínas recombinantes foi aprovada pelo regulador, anunciou esta quarta-feira o seu principal promotor, o Instituto de Microbiologia, ligado à Academia das Ciências da China.

De acordo com a Xinhua, a vacina (Células CHO) completou a primeira e a segunda fases dos testes clínicos em Outubro do ano passado, sendo que os resultados apoiam a segurança e a imunogenicidade do produto, sem informação de reacções adversas severas.

O nível de anticorpos neutralizantes provocados pelas Células CHO é comparável ao de outras vacinas contra o novo coronavírus a nível internacional a partir de proteínas recombinantes e de ARNm, refere ainda a agência, de acordo com uma declaração do instituto.

Os investigadores têm estado a realizar os testes da terceira fase desde Novembro de 2020, na China, no Uzbequistão, no Paquistão, no Equador e na Indonésia. Prevêem envolver nesse processo cerca de 29 mil adultos.

No passado dia 1 de Março, a substância foi aprovada no Uzbequistão, tendo obtido a aprovação para uso de emergência na China no dia 10.

A vacina de subunidades baseada em proteínas recombinantes não necessita de um laboratório de bio-segurança de alto grau para ser produzida e pode alcançar rapidamente uma produção em grande escala. É também mais rentável e fácil de armazenar e transportar, ainda segundo o comunicado do instituto.

A vacina foi desenvolvida conjuntamente pelo Instituto de Microbiologia e a empresa Anhui Zhifei Longcom Biopharmaceutical. Trata-se da primeira vacina de subunidades baseada em proteínas recombinantes contra a Covid-19 a ser aprovada a nível mundial para a investigação clínica e é a quarta contra o novo coronavírus a ser autorizada na China para uso de emergência.

No meio da corrida mundial às vacinas...

Em plena corrida global às vacinas anti-Covid-19, a China possui 17 candidatas, com várias tecnologias, tendo administrado as quatro até agora autorizadas a quase 65 milhões de pessoas no país, no contexto de um programa de uso de emergência aberto em Julho, informa a Prensa Latina.

O país asiático enviou os produtos que desenvolveu para 69 países em desenvolvimento, como forma de ajuda, tem acordos de exportação para outros 43 e prevê fornecer dez milhões de doses à aliança Covax.

Além disso, refere ainda a agência cubana, o Ministério Público, o Ministério da Segurança Pública (Interior) e as embaixadas chinesas estão a unir esforços para neutralizar a fraude e o contrabando de substâncias falsas, um negócio que prolifera a preços exorbitantes.

Tópico