|Venezuela

Autoridades venezuelanas destacam lealdade do pessoal diplomático no Brasil

O ministro venezuelano dos Negócios Estrangeiros, Jorge Arreaza, sublinhou a lealdade do pessoal diplomático no Brasil perante a invasão da Embaixada do país caribenho por grupos violentos da oposição de direita.

Representantes de movimentos sociais e de partidos políticos brasileiros concentraram-se junto à Embaixada da Venezuela em Brasília em defesa da Revolução Bolivariana e do seu governo legítimo
Representantes de movimentos sociais e de partidos políticos brasileiros concentraram-se junto à Embaixada da Venezuela em Brasília em defesa da Revolução Bolivariana e do seu governo legítimo Créditos / proceso.nh

Em declarações à Venezolana de Televisión, Arreaza precisou que, esta quarta-feira, entraram nas instalações da missão diplomática em Brasília cerca de 20 pessoas, perante a atitude passiva das autoridades brasileiras.

«Fizeram correr o rumor de que o pessoal diplomático não reconhecia o presidente Nicolás Maduro», afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, que destacou que o pessoal da Embaixada «sempre manteve a lealdade com o povo venezuelano, livre e independente».

Arreaza defendeu o esclarecimento dos factos, na medida em que «a Convenção de Viena obriga os estados a proteger as sedes diplomáticas», e reiterou o agradecimento a deputados de partidos políticos amigos e representantes de movimentos sociais brasileiros pela «solidariedade activa e presença corajosa» frente à Embaixada venezuelana, em defesa do pessoal diplomático venezuelano e do respeito pelo direito internacional.

Arreaza explicou ainda que as pessoas que invadiram a Embaixada em Brasília por volta das 5h da manhã a abandonaram, sem «problemas de maior e de forma pacífica, graças às iniciativas das autoridades», cerca de 12 horas mais tarde.

De acordo com o Brasil de Fato, os invasadores, apoiantes do golpista Guaidó, saíram pelas traseiras do edifício da embaixada, escoltados pela Polícia Militar, na sequência de horas de negociação entre um representante dos invasores e um representante do Ministério brasileiro dos Negócios Estrangeiros.

Apoiantes do governo legítimo da Venezuela permaneceram todo o dia frente à Embaixada em protesto contra a invasão / Erick Gimenes

Após a saída, as centenas de apoiantes do legítimo governo da Venezuela que se tinham concentrado frente à embaixada gritaram palavras de ordem a favor da democracia e da soberania da América Latina.

Por seu lado, o embaixador venezuelano no Brasil, Freddy Efrain Meregote Flores, fez questão de agradecer, em nome do seu presidente, «legitimamente constituído, […] o presidente Nicolás Maduro Moros, a solidariedade do povo brasileiro». «Hoje, eficazmente, conseguimos reverter o ataque por um grupo de pessoas que é inimiga do processo bolivariano que se dá na Venezuela», declarou.

Em comunicado, o Ministério venezuelano dos Negócios Estrangeiros denunciou à comunidade internacional, esta quarta-feira, o assalto à Embaixada do país em Brasília, com a cumplicidade das autoridades locais.

No documento, o governo bolivariano alertou para a falsidade das informações postas a circular pelos assaltantes em diversos meios, de acordo com as quais as suas acções teriam sido realizadas com o apoio do pessoal diplomático venezuelano.

Tópico