|Venezuela

Autoridades venezuelanas agradecem ao Irão: «um passo em frente pela dignidade»

Vários governantes agradeceram a ajuda do Irão após a chegada do primeiro petroleiro com combustível e aditivos a águas territoriais venezuelanas. «É tempo de solidariedade», disse o ministro da Defesa.

O navio 'Fortune' foi o primeiro de cinco petroleiros iranianos a chegar a águas territoriais da Venezuela
O navio 'Fortune' foi o primeiro de cinco petroleiros iranianos a chegar a águas territoriais da Venezuela Créditos / @NicolasMaduro

«O final do Ramadão traz-nos a chegada do navio Fortune, expressão da solidariedade do povo islâmico do Irão para com a Venezuela. Em tempos em que o império supremacista pretende impor pela força o seu domínio, só a irmandade dos povos livres nos salvará. Obrigado, Irão», escreveu este domingo o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na sua conta de Twitter.

O chefe de Estado escreveu estas palavras de reconhecimento quando o petroleiro iraniano Fortune se dirigia para a refinaria El Palito, em Puerto Cabello (estado de Carabobo), depois de, no sábado, ter entrado sem problemas em águas venezuelanas, escoltado por barcos, helicópteros e aviões da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB), segundo refere a Prensa Latina.

Esta segunda-feira, o navio iraniano já atracou em El Palito e um segundo (Forest) entrou em águas sob jurisdição venezuelana. Fazem parte de um conjunto de cinco que devem chegar por estes dias à Venezuela, no âmbito de acordos de cooperação energética celebrados entre os dois países.

No passado dia 16, o Fortune, o Petunia, o Forest, o Faxon e o Clavel partiram do país asiático, tendo atravessado o Estreito de Gibraltar carregados com combustível e aditivos para a produção de gasolina no país caribenho, que passa por uma crise de falta de gasolina devido às medidas coercitivas e unilaterais que lhe são impostas pelos Estados Unidos.

Depois de o Irão ter anunciado a decisão de ajudar a Venezuela, a administração norte-americana ameaçou atacar os navios e reforçou a presença de navios militares do Comando Sul no Mar das Caraíbas. Confrontado com as provocações de Washington, o Irão avisou que, se os navios fossem atacados, daria uma «resposta contundente».

O presidente da Assembleia Nacional Constituinte, Diosdado Cabello, sublinhou a importância deste passo face ao imperialismo: «Dois povos atacados pelo imperialismo decidem dar um passo em frente pela dignidade, pelo mundo possível; a oposição lacaia no seu simplismo apenas vê os petroleiros, são incapazes de ver o alcance deste esforço. Nós venceremos!», sublinhou numa mensagem em microblogging.

Por seu lado, o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, deu as boas-vindas ao navio iraniano: «A nação persa expressa a sua fraternidade transformada em ajuda humanitária para a Venezuela; e nós, um país soberano e livre, que baseia as suas relações numa diplomacia de paz e respeito, recebemo-la agradecidos. Não é tempo para banalidades, é tempo de solidariedade», destacou numa plataforma virtual.

Tópico