|Palestina

Ataque a escola da ONU é «terrorismo de Estado»

Na quinta-feira, pelo menos 40 palestinianos foram mortos e dezenas ficaram feridos quando as forças israelitas bombardearam uma escola da ONU que acolhia deslocados no campo de refugiados de Nuseirat.

Imagem da escola da Unrwa no campo de refugiados de Nuseirat, na Faixa de Gaza, que acolhia milhares de deslocados e foi bombardeada por Israel, a 6 de Junho de 2024 CréditosAli Jadallah / Anadolu

De acordo com a ONU, a escola gerida pela agência das Nações Unidas para os refugiados palestinianos acolhia cerca de 6000 deslocados quando foi bombardeada sem aviso.

«Acordei com gritos de mulheres e vi partes de corpos dilaceradas. Uma mulher perdeu dois ou três filhos», disse Om Mohammed Wasi, um palestiniano deslocado.

O jornalista da Al Jazeera Tareq Abu Azzoum, que se encontra no Hospital de al-Aqsa, em Deir al-Balah, disse que a maioria das vítimas são crianças, mulheres e idosos.

«Isto é terrorismo de Estado», afirmou Naiem Khalil, outro palestiniano deslocado.

«Israel está a atingir as instituições da ONU. Israel violou todas as leis internacionais, cruzou todas as linhas vermelhas. Durante 76 anos, os palestinianos apelaram ao mundo inteiro sem resposta. As resoluções da ONU são implementadas em todos os outros países, excepto em Israel. Isto é hipocrisia», denunciou.

ONU condena ataque

Através do seu porta-voz, Stéphane Dujarric, o secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou o ataque israelita contra a escola da Unrwa no campo de refugiados de Nuseirat, na região central do enclave.

«As instalações da ONU são invioláveis, inclusive durante os conflitos armados, e devem ser protegidas por todas as partes a todo o momento», disse, insistindo na necessidade de um cessar-fogo imediato.

«É só mais um exemplo horrível do preço que os civis estão a pagar, que os homens, mulheres e crianças palestinianos que estão apenas a tentar sobreviver [estão a pagar]», disse o porta-voz de Guterres em declarações à imprensa.

Condenando o ataque, falou ainda na necessidade de se prestar contas por tudo o que está a acontecer em Gaza.

Ataques israelitas incessantes

As forças israelitas lançaram uma série de ataques aéreos e de artilharia contra vários pontos na Faixa de Gaza ao longo desta noite e madrugada, com a região Centro do enclave a ser bastante fustigada belas bombas, nomeadamente os campos de refugiados de Nuseirat, al-Bureij e al-Maghazi, e as cidades de Deir al-Balah e al-Zawaida.

A agência Wafa – tal como a Al Jazeera – também dá conta de ataques a vários bairros na Cidade de Gaza, bem como às regiões de Rafah e Khan Younis, a sul, onde foi morto e ficou ferido um número indeterminado de pessoas.

De acordo com dados oficiais, a agressão israelita em curso contra Gaza, no seu 245.º dia, provocou pelo menos 36 654 mortos (confirmados), na sua maioria crianças e mulheres. O número de feridos chegou a 83 309.

Tópico

Contribui para uma boa ideia

Desde há vários anos, o AbrilAbril assume diariamente o seu compromisso com a verdade, a justiça social, a solidariedade e a paz.

O teu contributo vem reforçar o nosso projecto e consolidar a nossa presença.

Contribui aqui